Após feriados no Japão e na China, bolsas da Ásia fecham sem direção única

Embora o ritmo da vacinação contra o novo coronavírus na Ásia seja lento, em relação ao dos EUA e da Europa, a recuperação da economia global alimenta otimismo

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo
06 de maio de 2021 às 08:09
bolsa china
Foto: Aly Song/Reuters

As bolsas da Ásia do Pacífico fecharam sem direção única nesta quinta-feira (6) com os negócios voltando a ganhar liquidez visto que os mercados do Japão e da China reabriram após três dias de feriados.

Na China continental, o tom foi negativo hoje. O Xangai Composto recuou 0,16%, a 3.441,28 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto teve queda de 0,97%, a 2.276,58 pontos.

Já em outra partes da região asiática, o japonês Nikkei subiu 1,80% em Tóquio, impulsionado por ações financeiras e de siderúrgicas, enquanto o Hang Seng avançou 0,77% em Hong Kong, a 28.637,46 pontos, o sul-coreano Kospi voltou de um feriado com ganho de 1% em Seul, a 3.178,74 pontos, e o Taiex registrou alta de 0,90% em Taiwan, a 16.994,36 pontos, interrompendo uma sequência de perdas que veio em meio a um novo surto de Covid-19 na ilha.

Embora o ritmo da vacinação contra o novo coronavírus na Ásia seja lento, em relação ao dos EUA e da Europa, a recuperação da economia global alimenta otimismo sobre exportações e lucros de empresas que fazem negócios no exterior.

Em ata da reunião de política monetária de março, o Banco do Japão (BoJ) avaliou que o impacto negativo da covid-19 na economia mundial está provavelmente diminuindo.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no vermelho, pressionada em especial pelo setor de tecnologia, que sofreu tombo de 3,6%, espelhando o fraco desempenho de ontem em Nova York de "giant techs" dos EUA, como Microsoft, Amazon e Facebook. O S&P/ASX 200 caiu 0,48% em Sydney, a 7.061,70 pontos.