Tesla, Apple, Coinbase: as 10 ações mais negociadas pelos brasileiros nos EUA

Levantamento da Stake mostra os ETFs e as ações preferidas por brasileiros ao negociar em Wall Street

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
10 de maio de 2021 às 04:30
Pessoa segura celular e acompanha investimentos
Foto: Austin Distel/Unsplash

Quais são as ações mais negociadas pelos brasileiros em Wall Street, nos Estados Unidos? Um ranking realizado pela startup de investimentos Stake mostra que a lista é um pouco previsível, e traz nomes como Tesla, Microsoft, Apple e Amazon, mas também novidades, a exemplo da estreante Microvision, que ultrapassou a Apple neste mês, chegando ao 2º lugar do ranking. 

Segundo a Stake, o destaque é — realmente — as ações da Microvision, que tiveram um surto de popularidade quando a empresa anunciou que adicionaria o bitcoin ao seu balanço, em meio ao alarde em cima das criptomoedas. A ação da empresa ($MVIS) subiu mais de 150% somente em abril. 

"O aumento da procura por ações da Microvision nesse mês se deve a dois  fatores principais. O primeiro deles é a volatilidade. Essa volatilidade normalmente atrai os traders que procuram ganhar dinheiro em movimentos de curto prazo com a grande variação no preço das ações", diz Paulo Kulikovsky, COO da Stake, em comunicado enviado ao CNN Brasil Business

A lista também traz outra empresa relacionada ao mercado de bitcoin: a Coinbase, que estreou na bolsa na metade do mês passado.  "Apesar de não ser a maior empresa de criptomoedas, atualmente essa tem sido a primeira escolha de compra para aqueles que são novos no mercado de cripto", explica a Stake. Foram negociados cerca de US$ 10 milhões na Conbaise por meio da Stake.  

Os ETFs mais negociados

A Stake também realizou um levantamento dos ETFs (Exchange Traded Funds) americanos mais negociados por brasileiros. Segundo a consultoria, "o grande sucesso está entre os alavancados", já que os investidores "buscam movimentos que impulsionam seus investimentos". 

No top 5 estão fundos como SOXL, FNGU e TQQQ. "Diante dos resultados do ranking de ETFs, é possível afirmar que os investidores que apostam nesses fundos estão muito confiantes nos retornos e querem dar uma exposição extra a eles", aponta Kulikovsky.

O destaque de abril ficou para a SOXL, ETF de semicondutores usados em equipamentos eletrônicos. Segundo a Stake, o que atraiu os investidores para o setor foi a escassez global do item, "mas os retornos ainda não chegaram". 

Confira as ações e os ETFs mais negociados por brasileiros nos EUA