Governo de São Paulo promulga o programa social 'Bolsa Povo'

Medida, anunciada pela primeira vez em abril, foi publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (27).

Victória Cócolo, da CNN em São Paulo
27 de maio de 2021 às 08:11 | Atualizado 27 de maio de 2021 às 12:11
25 de Março
Movimentação de consumidores na região da Rua 25 de março, área de comércio popular no centro de São Paulo
Foto: Cris Faga/Estadão Conteúdo

 O governo de São Paulo promulgou o programa social "Bolso Povo", com o objetivo de concentrar a gestão dos benefícios, ações e projetos, com ou sem transferência de renda, instituídos para atendimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A medida, anunciada pela primeira vez em abril, foi publicada no Diário Oficial nesta quinta-feira (27).

O Bolso Povo reúne programas já existentes, abrangendo seis eixos diferentes. São eles: Programa Renda Cidadã, Bolsa-Auxílio do Programa de Qualificação Profissional e de Transferência de Renda “Via Rápida”, Programa Emergencial de Auxílio Desemprego, Programa Ação Jovem, Programa Bolsa Talento Esportivo e Auxílio-moradia emergencial, com a possibilidade de inclusão outros.

O estado prevê um investimento de R$ 1 bilhão no programa, ainda em 2021, para atender cerca de 500 mil famílias, o equivalente a 2,5 milhões de beneficiários em todo o estado de São Paulo.

De acordo com a administração estadual, com o Bolsa do Povo, o programa Bolsa-Trabalho poderá chegar a um salário mínimo, a jornada de atividade poderá ser fixada entre 4 a 8 horas por dia, cinco dias na semana.Além disso, o projeto também prioriza mulheres vítimas de violência doméstica ou mães que são arrimo da família (monoparentais) para receberem os benefícios sociais.