Dia dos Namorados deve levar o comércio do Rio ao nível de antes da pandemia

Segundo estudo do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises, a data comemorativa deve injetar no estado R$ 1,45 bilhão. Em 2019, foram R$ 1,47 bilhão

Jaqueline Frizon, da CNN, no Rio de Janeiro
28 de maio de 2021 às 13:11
Carrinho de compras; e-commerce
Carrinho de compras; e-commerce
Foto: the_burtons / Getty Images

 

O Dia dos Namorados é uma data esperada não apenas pelos apaixonados. O comércio do Rio de Janeiro aposta em uma retomada das vendas.

Quando se fala em valores movimentados, a data comemorativa fica atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. Apesar de a pandemia ainda refletir no comércio, o setor está otimista. 

De acordo com levantamento do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises, o Dia dos Namorados deve injetar no estado do Rio cerca de R$ 1,45 bilhão, valor próximo ao de 2019, antes da pandemia, quando o volume de compras somou R$ 1,47 bilhão na economia fluminense. No ano passado, o total foi de R$ 832 milhões.

O estudo mostrou que o gasto médio com o presente deve aumentar. A expectativa é que a pessoa gaste com a lembrança R$ 173,25 este ano, valor superior aos R$ 157,31 do ano passado. Os presenteados deverão ganhar roupas (43,4%), perfumes e cosméticos (25,2%), calçados, bolsas e acessórios (20,1%), flores (14,5%), joias e bijuterias (11,3%), smartphones (7,5%), livros e e-books (7,5%) e computadores (0,6%). 

Com a reabertura do comércio, a maioria dos consumidores deve ir às compras em lojas físicas (49,4%), enquanto que 22,2% devem recorrer à internet. O comércio não essencial em ruas e shoppings na capital fluminense foi reaberto em abril deste ano. No período do Dia dos Namorados do ano passado, shoppings e comércio não essencial estavam fechados.