Rolls-Royce irá construir o carro dos seus sonhos, mas vai te custar milhões

A montadora de luxo trabalhará em apenas um desses carros a cada dois anos, disseram executivos

Peter Valdes-Dapena, do CNN Business*
28 de maio de 2021 às 09:31 | Atualizado 28 de maio de 2021 às 10:13

 

Se você tiver o dinheiro, e os executivos da Rolls-Royce gostarem da sua ideia, a montadora britânica construirá para você o carro dos seus sonhos.

A marca se junta a uma série de outras companhias ultraluxuosas, incluindo Bentley e Porsche, que trabalharão com um número limitado de clientes ricos para construir carros customizados muito caros. (Tanto Bentley quanto Porsche são propriedade do Grupo Volkswagen, enquanto a Rolls-Royce é propriedade da BMW.)

Na quinta-feira (28), a Rolls-Royce revelou um novo programa chamado Rolls-Royce Coachbuild. Este departamento trabalhará com clientes individuais para ajudar a projetar e construir carros especificamente para eles.

A montadora de luxo trabalhará em apenas um desses carros a cada dois anos, disseram executivos. E, embora não diga quanto custarão os carros, parece claro que custarão muitos milhões de dólares.

"Os clientes da Rolls-Royce Coachbuild estão íntima e pessoalmente envolvidos em cada etapa do processo criativo e de engenharia", disse o CEO da Rolls-Royce, Torsten Müller-Ötvös.

Rolls-Royce Boat Tail vem com conjunto de piquenique
Foto: Rolls-Royce

A Porsche chama seu departamento de carros personalizados de Sonderwunsch, ou "Desejo Especial" em alemão. O programa, que existia anteriormente desde os primeiros dias da Porsche até a década de 1980, foi reiniciado recentemente. Agora a alemã está oferecendo carros novos totalmente customizados, bem como modelos customizados baseados em Porsches clássicos, como o 356 e o 911.

O programa da Porsche foi responsável por introduzir inovações como o limpador do vidro traseiro, bem como o primeiro rádio do Porsche no carro esportivo Porsche 356. "Ouvir nossos clientes sempre foi uma fonte de inovação para nossa empresa", disse Christian Heck, chefe de gerenciamento de produto do programa Porsche.

No ano passado, a Bentley revelou o Bacalar, um carro totalmente sem teto, que terá 12 unidades a um custo de US$ 2 milhões cada. Ao revelar o modelo, a Bentley também anunciou seu próprio retorno à "construção de carrocerias".

Uma cesta de piquenique muito cara

Para lançar seu novo departamento de Coachbuild, a Rolls-Royce revelou um novo carro chamado Boat Tail, que terá três eunidades fabricadas. Esses carros foram encomendados por três compradores diferentes, a Rolls-Royce não quis citá-los, todos interessados em passeios de barco e iates e que queriam algo com um toque náutico.

A Rolls-Royce não disse quanto custa cada um desses carros, mas o preço estimado é de cerca de US$ 25 milhões.

O estilo da carroceria do Boat Tail é uma reminiscência dos carros clássicos das décadas de 1920 e 1930. Naquela época, os carros de luxo às vezes eram projetados com as traseiras afiladas em uma ponta, como a cauda de um barco.

Como as caudas dos carros na década de 1950, que sugeriam velocidade e estilo por meio de uma associação com os aviões, as caudas dos barcos deram aos carros uma aparência rápida e aerodinâmica. Freqüentemente, eles eram cobertos por pranchas de madeira para se assemelhar a um barco de madeira daquela época.

Em vez de uma capota dobrável, como a maioria dos conversíveis, o Rolls-Royce Boat Tail tem um teto totalmente removível que é armazenado separadamente do carro. Isso libera espaço de armazenamento na parte traseira do carro que, neste caso, se transformou em uma cesta de piquenique caríssima.

Duas tampas se abrem nas laterais. Dentro, há pratas caras em relevo, copos de vários tipos, guardanapos e pratos. Há um refrigerador de champanhe duplo projetado para caber a garrafa preferida do comprador e colorido para combinar. Mesas de coquetéis também se dobram e há dois bancos de design italiano. Para a sombra, um guarda-sol é armazenado no centro, entre as portas com dobradiças.

O retorno da construção de carrocerias

No início dos automóveis, os compradores costumavam escolher uma montadora, como a Rolls-Royce, Hispano-Suiza ou Duesenberg, para construir as peças mecânicas de um carro, o motor, a transmissão e a estrutura.

A carroceria do carro, entretanto, seria projetada e construída por uma empresa especializada em carrocerias, muitas das quais já haviam construído carruagens puxadas por cavalos. Esta era a última fronteira em personalização.

Havia muitas empresas de construção de carrocerias e seus nomes são famosos hoje entre os colecionadores de automóveis. Houve LeBaron nos Estados Unidos, Touring na Itália, Figoni et Falaschi e Saoutchik na França e muitas outras.

Eventualmente, muitos fabricantes de automóveis compraram as empresas de construção de carrocerias, trazendo esse trabalho para dentro de casa, disse Donald Osborne, avaliador de carros e CEO do Audrain Automobile Museum em Newport, Rhode Island.

A Rolls-Royce fez muitos carros totalmente personalizados. Mas, já fazia décadas desde que a montadora realmente construiu um automóvel personalizado único para um cliente pagante. A marca sempre pintou um carro da cor que um cliente pedisse e ainda adiciona muitos toques personalizados, mas há muito tempo havia parado de construir carrocerias totalmente personalizadas até alguns anos atrás.

Em 2017, a Rolls-Royce revelou o Sweptail, que foi feito sob medida para um cliente rico não identificado. Foi estimado em cerca de US$ 13 milhões, um valor que a Rolls-Royce nunca confirmou oficialmente, mas também não nega. Depois que o carro foi revelado, outros clientes em potencial se apresentaram, dizendo que também queriam seu Rolls-Royce só para eles.

Não apenas para os olhos

É muito mais difícil criar esses tipos de carros personalizados hoje do que era na primeira metade do século XX. Hoje, existem leis de segurança rígidas, que se aplicam até mesmo a carros tão exclusivos como este. Esses regulamentos podem dificultar o desenvolvimento até mesmo de veículos produzidos em massa, quanto mais responder aos caprichos de um cliente individual.

Além disso, a maneira como os veículos modernos são projetados torna mais difícil criar carrocerias totalmente diferentes. As estruturas e carrocerias dos veículos de hoje geralmente não são separadas, mas são integradas, de forma que mudanças importantes na carroceria podem ter um impacto muito mais substancial no resto do veículo.

A Rolls-Royce anunciou há vários anos que todos os seus novos veículos seriam baseados em uma nova configuração de engenharia que chamou de Arquitetura de Luxo. Um dos benefícios dessa nova engenharia é a flexibilidade que oferece para criar modelos muito diferentes, de acordo com a marca. Além da cauda do barco, também está subjacente aos sedãs Rolls-Royce Phantom e Ghost, bem como ao SUV Cullinan.

Parte da razão pela qual esses veículos são tão caros é o tempo que exigem, disse o CEO da Rolls-Royce, Müller-Ötvös, incluindo o seu próprio. Ele passou muito tempo supervisionando a criação do Boat Tail como faria com qualquer modelo Rolls-Royce.

Com isso, disse ele, a montadora está sendo seletiva sobre quais projetos ela assume e planeja concluir apenas um projeto Coachbuild a cada dois anos ou mais, disse ele.

Müller-Ötvös deixou claro, porém, que esses projetos serão lucrativos e, ao contrário dos carros-conceito, não serão feitos apenas para exibição. "Eu nunca levaria a empresa para algo que não fosse lucrativo", disse ele.

Osborne, do Museu Audrain, disse que estava feliz em ver esses tipos de carros únicos retornando, apesar de suas despesas de tirar o fôlego. "Se a individualidade, a habilidade e o design podem ser expressos de uma forma inspiradora, vamos em frente", disse ele, "Por que deveríamos todos dirigir a mesma coisa?"

*Texto traduzido, clique aqui para ler o original