Hotéis e restaurantes esperam maior movimento no Dia dos Namorados

No caso dos pedidos por delivery, segundo a Abrasel-SP, a demanda pode dobrar em relação a um sábado comum durante a pandemia

Manuella Niclewicz, da CNN em São Paulo
10 de junho de 2021 às 13:51

Apesar da pandemia de Covid-19, restaurantes e hotéis estão otimistas para o movimento no Dia dos Namorados. No caso dos pedidos por delivery, segundo a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) de São Paulo, a demanda pode dobrar em relação a um sábado comum durante a crise sanitária.

Em São Paulo, por exemplo, os restaurantes funcionam com 40% da capacidade total e até às 21h. Por isso, os estabelecimentos estão apostando bastante nas entregas, pois não vão conseguir aumentar a demanda presencial.

Em 2020, ainda em meio à adaptação para o sistema de entregas, a alta no faturamento na data não passou de 30%. 

No caso da rede hoteleira, a expectativa também está altíssima. De acordo com a Associação Brasileira Indústria Hotéis de São Paulo (Abih-SP), a ocupação de rede hoteleira na capital paulista deve superar os 60%.