Com IR menor, construção pode gerar o dobro de empregos, diz presidente da CBIC

José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, deu entrevista á CNN

do CNN Brasil Business, em São Paulo*
13 de julho de 2021 às 19:14 | Atualizado 13 de julho de 2021 às 19:26

 

Uma possível redução do Imposto de Renda cobrado de pessoas jurídicas pode fazer com que empresas do setor de construção civil gerem o dobro de empregos em relação ao que é previsto para este ano, segundo José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Segundo ele, em janeiro e fevereiro, o setor gerou cerca de 45 mil empregos por mês e a expectativa até agora é que chegue a 300 mil no ano, metade da sua capacidade. A proposta de redução de 25% para 12,5% no IR, enviada recentemente pelo governo ao Congresso, porém, poderia estimular o reinvestimento no setor que, segundo ele, tem capacidade de chegar a 600 mil novos empregos por ano. 

 

"Infelizmente, problemas no custo da construção inibiu o ritmo de geração de empregos. Se houvesse esses estímulos ao reinvestimento, o número que esperamos para este ano pode ser dobrado", disse em entrevista à CNN.

Martins ainda elogiou as mudanças no projeto, divulgadas nesta terça pelo relator da proposta na Câmara. Entre as atualizações, está a retirada da tributação dos fundos de investimentos imobiliários e dos "come-cotas" em infraestrutura, logística e agronegócio, hoje isentos, mas que passariam a pagar alíquota de 15%, segundo o texto do governo.

"Sem dúvida, essa mudança foi para melhor, mas ainda precisamos nos aprofundar nos impactos de quando tem cadeia produtiva envolvida, que é o exemplo do meu setor, onde cada obra tem um CNPJ diferente", alerta.

*Texto publicado por Ligia Tuon

Prédio em construção
Foto: REUTERS/Nacho Doce