Partiu espaço? Quanto custa uma viagem privada para a órbita da Terra

SpaceX, Virgin Galactic e BlueOrigin: saiba quanto custa para viajar por cada uma das empresas

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo
17 de julho de 2021 às 09:58 | Atualizado 17 de julho de 2021 às 17:27
Visão da Terra do espaço (05.abr.2021)
Viagens suborbitais ganham espaço na indústria do turismo espacial
Foto: Reprodução/CNN

Viajar para o espaço pode, em breve, se tornar uma atividade tão comum quanto pegar o carro e fazer um bate-volta para a praia — pelo menos para os mais ricos.

Isso porque, atualmente, empresas como a SpaceX, de Elon Musk, a Virgin Galactic, de Richard Branson, e a BlueOrigin, de Jeff Bezos, pretendem transformar as viagens espaciais em voos comerciais. Mas as passagens não devem ser baratas.

O turismo espacial tem ganhado espaço nos últimos anos e a expectativa da consultoria Research and Markets é a de que o setor irá chegar a US$ 2,58 bilhões até 2031, com um crescimento previsto de 17,15% ao ano. 

O relatório da empresa afirma que o principal fator para o crescimento serão os esforços realizados para permitir o transporte espacial, além do surgimento de novas startups focadas em voos suborbitais e no comprometimento das companhias em desenvolver opções mais baratas para esse tipo de viagem. 

Sem levar em conta que a indústria espacial foi avaliada em US$ 385 bilhões em 2020, segundo a consultoria Euroconsult — com espaço para crescer crescer. Segundo o analista Ron Epstein, do Bank of America, o mercado deve chegar a valer US$ 1,4 trilhão já na próxima década, se aproximando dos US$ 1,5 trilhão da indústria de turismo.  

Saiba quanto custa uma passagem para viajar para o espaço:

Virgin Galactic

Nova aeronave da virgin galactic
Foto: Divulgação

A empresa de Branson fez um voo tripulado na semana passada e já está com uma lista de espera com nomes bastante conhecidos para os próximos voos suborbitais — como Lady Gaga, Justin Bieber e até mesmo Musk. 

Ao contrário das viagens espaciais tradicionais em que os astronautas circulam a Terra e flutuam no espaço por dias, os voos da Virgin são viagens curtas, para cima e para baixo. A espaçonave percorre mais de 50 milhas (80 quilômetros) acima da Terra, distância que o governo dos EUA considera a fronteira do espaço sideral.

Para viajar com a empresa, o passageiro precisa desembolsar pelo menos US$ 250.000, ou US$ 1.000 para participar da lista de espera. Se o valor for convertido com base na cotação atual, uma passagem custa cerca de R$ 1.278.927,50. As taxas devem ser aumentadas nos próximos anos. 

BlueOrigin

Foto: REUTERS/Isaiah J. Downing/Foto de arquivo

Quem quiser viajar pela empresa do homem mais rico do mundo e fundador da Amazon, Jeff Bezos, vai provavelmente precisar participar de um leilão, porque as passagens ainda não têm um preço definido.

Em junho, um anônimo conseguiu comprar um lugar para a viagem inaugural da companhia, que deve acontecer na terça-feira (20), por US$ 29.680.000. Aos 45 do segundo tempo, no entanto, o apostador desistiu da viagem, o que fez com que Bezos convidasse um estudante para ocupar o lugar vazio. 

Com a inclusão de Oliver Daemen, o voo deve contar com a pessoa mais jovem a ir ao espaço e também a mais velha — neste caso Wally Funk, aviadora pioneira hoje com 82 anos, de acordo com a Blue Origin. Os irmãos Jeff e Mark Bezos os acompanharão no lançamento suborbital.

SpaceX

Preparação para o lançamento em Cabo Canaveral, na Flórida, em 16 de abril de 2021
Foto: Aubrey Gemignani/Nasa/Getty Images

A SpaceX, de Musk, já enviou humanos para o espaço em uma parceria inédita com a Nasa, marcando o encontro de uma organização pública com uma companhia do setor privado.

No final deste ano, o objetivo da empresa é realizar a primeira viagem comercial para a Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) com um foguete da SpaceX.

Para participar do voo — que deve durar dez dias —, três pessoas pagaram US$ 55 milhões, valor que inclui treinamento, lançamento e custos diários para a sobrevivência na ISS por 14 dias antes da viagem. 

*Com informações de Eric M. Johnson, da Reuters