Economistas apontam erro em fala de Bolsonaro sobre alta de 9% do PIB em 2 anos

Presidente deu entrevida à rádio Jovem Pan Itapetininga nesta quarta; projeção oficial do Ministério da Economia é de alta de 5,3% na economia em 2021

Ligia Tuon, do CNN Brasil Business
21 de julho de 2021 às 17:38 | Atualizado 21 de julho de 2021 às 20:06

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) cometeu erros nos cálculos do Produto Interno Bruto (PIB) ao comparar o resultado do ano passado com projeções para este ano, segundo economistas ouvidos pela CNN

“Alguns já projetam um crescimento de 5% positivo esse ano (…) Se é 5% positivo e o ano passado foi 4% negativo, crescemos 9%. Isso é um milagre. É uma coisa inacreditável”, disse em uma entrevista à rádio Jovem Pan Itapetininga nesta quarta-feira (21). 

Um dos equívocos do presidente foi somar 4% com 5%. "Como estamos falando de percentuais, não dá para somar simplesmente os números", explica Sérgio Vale, economista-chefe da MB Associados.

 

"Por exemplo, com a queda de 4,1% no ano passado e supondo alta de 4,7% este ano, o PIB terá crescido nesses dois anos apenas 0,4%", diz o economista.

Outra inconsistência apontada por economistas é sobre a forma como presidente calculou a estimativa do PIB entre 2020 e 2021. “Mesmo que ainda apareça algum crescimento nos índices mensais deste ano, o correto será ele comparar a média dos índices mensais de 2021 com o índice de dezembro de 2020, para ver se restará algum crescimento positivo efetivamente atribuível a 2021", explica Raul Veloso, consultor econômico e ex-secretário de Assuntos Econômicos do Ministério do Planejamento no governo Sarney.

Já a estimativa de crescimento de 5%, citada pelo presidente, está próxima da projeção oficial do Ministério da Economia, que espera uma alta de 5,3% da atividade econômica para 2021. O número é semelhante também ao esperado pelas principais instituições financeiras do país, cuja média das expectativas gira em torno de 5,27%, como mostra o Boletim Focus, do Banco Central, nesta semana. Essas estimativas estão um pouco abaixo dos 6% previstos pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para o crescimento global em 2021.

Na imagem abaixo, é possível ter uma melhor noção de como a atividade econômica se comportou nos últimos dois anos, com um movimento de queda -- uma das piores da história econômica do Brasil -- seguido de recuperação. 

 

 

Presidente Jair Bolsonaro durante entrevista coletiva em Brasília 12/07/2021
Foto: REUTERS/Adriano Machado