Ações de tecnologia engatam 3ª queda consecutiva e Tesla perde 21% em um dia

Ações do setor estavam sendo negociadas em uma relação preço sobre lucro de 75 vezes, patamar próximo dos 76 registrados antes do estouro da bolha “Ponto Com"

Capa do podcast Abertura de Mercado
Capa do podcast Abertura de Mercado Foto: CNN Brasil

Fernando Nakagawada CNN

Ouvir notícia

Essa onda vendedora é motivada pelas reavaliações de analistas sobre o valor real das empresas tecnológicas. Há sensação de que houve exagero na alta recente durante a pandemia, quando o uso maciço da tecnologia deu gás aos papéis do setor.

No episódio de hoje:

– O mercado financeiro nos Estados Unidos engatou a terceira queda consecutiva ontem, liderada pelas ações do setor de tecnologia; 
– Entre as ações mais famosas, Apple caiu 6,7% e Microsoft perde 5,4%, mas nada pode ser comparável aos papéis da Tesla que perderam 21%, a maior queda histórica da ação;
– Só ontem, a empresa de carros elétricos de Elon Musk perdeu US$ 82 bilhões em valor de mercado;
– Essa onda vendedora é motivada pelas reavaliações de analistas sobre o valor real das empresas tecnológicas;
– Há sensação de que houve exagero na alta recente durante a pandemia, quando o uso maciço da tecnologia deu gás aos papéis do setor;
– Um dos argumentos fortes foi um relatório do Citibank que indicava que as dez principais ações do setor tecnológico estavam sendo negociadas, na semana passada, em uma relação preço sobre lucro de 75 vezes, patamar muito próximo dos 76 registrados antes do estouro da bolha “Ponto Com” no início dos anos 2000; 
– Tanto pessimismo chegou ao Brasil e o ibovespa caiu 1,18%, fechando o dia em 100,050 pontos;
– No câmbio, o real se enfraqueceu e o dólar chegou a R$ 5,36;
– Ainda falando em tecnologia, a Apple vai realizar um evento na próxima semana e especula-se que a empresa vai revelar um novo modelo de iPhone, o que seria o iPhone 12;
– O evento está marcado para a terça-feira, dia 15, e será transmitido pela internet;
– Normalmente, a empresa realiza o evento de lançamento de novos produtos no início de setembro na Califórnia;
– Analistas acreditam que Apple deve apresentar o novo iPhone 12, que seria o primeiro modelo da empresa compatível com as novas redes 5G;
– O lançamento deve gerar um “superciclo” de atualização, o que potencialmente poderia levar milhões de usuários dos telefones Apple com tecnologia 4G a comprar o novo aparelho para ter acesso à rede de internet ultrarrápida do 5G;
– Apesar da expectativa positiva, há preocupação sobre o impacto da pandemia na cadeia de produção dos aparelhos da empresa;
– O governo brasileiro começa a agir para tentar conter a disparada de preços dos alimentos;
– A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse em entrevista exclusiva à CNN que o Brasil vai zerar a tarifa de importação para a entrada de 400 mil toneladas de arroz até o final do ano;
– Ela explicou que a medida vai permitir reequilibrar o mercado e afasta o risco de um possível desabastecimento;
– Nos últimos 12 meses, o arroz subiu 25,5%, o que tem gerado uma onda de reclamações dos supermercado e consumidores;
– A Uber anunciou que pretende fazer com que todas as viagens de passageiros na América do Norte e Europa sejam em veículos elétricos até 2030;
– Para o restante do mundo, como no Brasil, a meta é ter emissão zero dez anos depois, em 2040;
– Essa decisão foi tomada após a divulgação do primeiro relatório de impacto ambiental da própria empresa;
– Após analisar quatro bilhões de viagens entre 2017 e 2019, o estudo revela que a emissão de carbono até caiu 6%;
– Mesmo assim, a emissão dos veículos inscritos na plataforma ainda é 41% maior que a dos carros de uso particular com média ocupação;
– Isso ocorre por causa do tempo gasto pelos motoristas dirigindo sem passageiros como quando ele busca um cliente;
– Diante disso, a plataforma que acelerar a agenda de descarbonização;
– Além disso, motoristas que tiverem carros sem emissão e estiverem na categoria Uber Green – que ainda não existe no Brasil — passarão a ganhar mais pelas corridas;
– A cada corrida o valor poderá aumentar automaticamente em US$ 1,5 recebido só porque o carro não polui;
– Ainda sobre carros elétricos, a General Motors comprou 11% da startup de carros elétricos Nikola por US$ 2 bilhões;
– Com a aquisição, a GM ficará à frente do projeto da camionete Badger;
– As ações da Nikola, concorrente da Tesla, dispararam 40% ontem;
– De volta ao Brasil, a operadora de saúde Hapvida comprou o grupo mineiro Promed por R$ 1,5 bilhão;
– A empresa cearense pagará R$ 500 milhões em dinheiro e outros R$ 500 milhões em ações;
– Também vai ficar com a dívida de R$ 500 milhões existente atualmente na empresa mineira;
– O grupo Promed é o segundo maior operador de saúde da região de Belo Horizonte e conta com 270 mil beneficiários e três hospitais, um deles o tradicional Vera Cruz que tem mais de 70 anos e fica na região central de BH;
– No esforço de expansão nacional, a Hapvida também anunciou a compra do plano de saúde goiano Samedh, que tem 18 mil clientes, por R$ 20 milhões e o arrendamento do Hospital Sinhá Junqueira, em Ribeirão Preto, interior paulista;
– Com isso, as ações da empresa ignoraram a queda das bolsas e terminaram o dia em alta de 1,40%, a R$ 67,34;
– AGENDA: IBGE divulga às 9h o IPCA do mês de agosto;
– Nos Estados Unidos, saem dados sobre a criação de empregos no mês de julho às 11h.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

 

Mais Recentes da CNN