Ibovespa segue viés pessimista dos EUA e fecha em queda; dólar sobe para R$ 5,36


Do CNN Brasil Business, em São Paulo
08 de setembro de 2020 às 09:13 | Atualizado 08 de setembro de 2020 às 17:23
Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a defender que a economia americana se descole da chinesa

Foto: Carlos Barría/Reuters

Depois do feriado do Dia da Independência no Brasil e do Dia do Trabalho, nos Estados Unidos (EUA), os investidores voltaram à ativa vendendo ações. Refletindo o pessimismo dos americanos, o Ibovespa recuou 1,18% para 100.050,43 pontos. Durante o pregão, no entanto, o índice chegou a ser negociado abaixo dos 100 mil pontos.

Em Wall Street, as bolsas seguiram em queda depois de atingirem valores recordes na semana passada. O movimento é encarado como uma correção nos preços das ações de tecnologia, que se valorizaram muito depois do início da pandemia.

Os investidores também estavam de olho em novas tensões entre Estados Unidos e China. O presidente norte-americano, Donald Trump, defendeu mais uma vez que a economia do país se descole da chinesa. “Perdemos bilhões de dólares e se não fizéssemos negócios com eles, não perderíamos bilhões de dólares’, disse Trump em uma coletiva de imprensa na Casa Branca.

Com isso, os investidores fugiram de riscos e o dólar avançou. O dólar à vista subiu 1,09%, a R$ 5,3662 reais. No pico do dia, alcançado às 10h46, a divisa saltou 1,92%, para R$ 5,4103. Na mínima, atingida às 14h21, o dólar marcou R$ 5,3167, leve alta de 0,16%.

O andamento das reformas também segue no radar dos investidores nacionais, com o relator da reforma tributária na comissão mista do Congresso, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), afirmando que as rusgas entre o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, não irão interferir no andamento da proposta. 

Bolsas internacionais

As ações da Tesla puxaram o Nasdaq para baixo nesta terça. Depois que o mercado ficou sabendo que os papéis da empresa de Elon Musk ficaram de fora do índice S&P 500, as ações caíram 21%.

Além disso, poucas empresas fecharam o dia no azul na bolsa que reúne os principais players de tecnologia – foram apenas quatro (tímidas) altas. Com isso, o Nasdaq caiu 4,81%. O movimento de correção nos preços das ações de tecnologia continua, apesar de o Softbank ter feito compras de opções no setor.

O Dow Jones teve queda de 2,25% e o índice S&P 500 caiu 2,7%.

As ações europeias registraram queda nesta terça-feira devido a temores de que o Reino Unido corre o risco de deixar a União Europeia sem um acordo comercial, com empresas de energia e ações de tecnologia liderando os declínios.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 1,1%, a 1.410 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 1,15%, a 364 pontos, com pressão do grupo de energia francês Total e da fabricante de softwares empresariais alemã SAP.

Já na China, os mercados fecharam o dia em alta. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, subiu 0,54%, enquanto o índice de Xangai teve alta 0,72%, interrompendo quatro dias de perdas.

(Com Reuters)