Alibaba e Baidu estão entre as ações chinesas mais negociadas por brasileiros

Levantamento considera negociações nas bolsas de valores de Nova York ao longo de 2021

Crescimento econômico do país torna investimentos atrativos, segundo analista
Crescimento econômico do país torna investimentos atrativos, segundo analista Tingshu Wang/Reuters

João Pedro Malardo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

A ação do grupo Alibaba, empresa que atua em diversos segmentos, em especial o de e-commerce, foi o ativo chinês mais negociado por brasileiros nas bolsas de Nova York em 2021. O dado faz parte de um levantamento da plataforma de investimentos Stake.

Em segundo lugar no ranking está a ação da NIO, uma empresa sediada em Xangai que projeta, desenvolve e vende veículos elétricos. Ela é seguida pela Didi, uma plataforma de tecnologia de mobilidade que atua no Brasil pelo aplicativo 99.

O quarto lugar ficou com a Xpeng, considerada uma rival da norte-americana Tesla por atuar no desenvolvimento de veículos elétricos e autônomos. Já na lanterna está a ação da Baidu, dona da principal ferramenta de buscas na internet da China.

Além do levantamento considerando apenas investidores do Brasil, a Stake também agrupou os dados considerando os outros três países em que atua, Austrália, Reino Unido e Nova Zelândia. Nesse caso, a ação mais negociada foi a da NIO, seguida pela do Alibaba. Confira os dados dos quatro países:

No ano, porém, a única ação com desempenho positivo dentre as cincos é a da Xpeng. Em geral, os ativos chineses foram afetados por temores de ações regulatórias por parte do governo da China, além da crise envolvendo a incorporadora Evergrande.

As pressões governamentais fizeram, por exemplo, com que a Didi anunciasse na semana passada que retirará suas ações da bolsa de Nova York, onde são negociadas. Agora, os ativos partirão para a bolsa de Hong Kong.

Entretanto, Rodrigo Lima, analista de investimento da Stake, considera que há uma tendência de longo prazo de liberalização dos mercados chineses, o que mantém um apelo nos investimentos de ativos do país mesmo com uma “imprevisibilidade das medidas regulatórias locais”.

O desempenho da economia chinesa, cujo Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 2,3% em 2020 mesmo com os efeitos da pandemia, faz com que o investimento no país se torne mais atrativo, favorecendo uma diversificação de carteira, segundo Lima. Ele afirma também que, segundo previsões, a China deve desbancar os Estados Unidos e se tornar a maior economia do mundo até 2028.

Em geral, o acesso às ações das principais empresas chinesas pode ser feito pelas bolsas dos Estados Unidos. Mas há também os recibos de ações negociados na B3, os chamados BDRs, que permitem investir pela bolsa brasileira, é o caso do Alibaba, cujo BDR tem o código BABA34.

Mais Recentes da CNN