Anatel adia votação de versão final do edital do 5G mais uma vez

Um dos conselheiros da agência pediu vista e avaliação do texto deve ser transferida para o fim do mês

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

A análise dos detalhes finais do edital do 5G, que voltou a ser discutido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta segunda-feira (13), foi adiado depois de um dos conselheiros da agência pedir vista da análise.

Com isso, a apreciação deve acontecer no fim deste mês. O edital do 5G é o texto que definirá os parâmetros para a implantação do novo sistema de telecomunicação móvel no Brasil.

O conselheiro Moisés Queiroz Moreira foi o responsável por pedir vista da análise do edital, mas, como ainda não depositou seu voto no sistema da Anatel, a contestação ainda não é conhecida.

O pedido pegou a todos de surpresa, incluindo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, que também convocou uma coletiva de imprensa no Palácio do Planalto enquanto os conselheiros da Anatel falavam sobre o edital do 5G.

Faria chegou a comentar que foi um pedido altamente inesperado e se prontificou a conversar com o conselheiro que efetuou o pedido para que eles possam resolver qualquer divergência.

“Não iremos perde o prazo do leilão”, disse Faria. “O conselheiro [que pediu vista] sabe da importância desse tema para o país. Já entramos em contato com ele e estamos aguardando as perguntas e questionamentos que poderiam ter sido feitos antes da votação.”

A versão atual do texto foi validada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em agosto, e os ministros já deveriam ter votado o edital na última sexta-feira (10). O próprio relator da proposta havia pedido um primeiro adiamento para esta segunda-feira.

Os demais conselheiros da Anatel esperam que Moreira peça uma sessão extraordinária para que o edital do 5G seja debatido ainda antes do prazo de 30 de setembro, data na qual há uma sessão ordinária da Anatel marcada.

Com isso, a expectativa é que o leilão possa ser realizado na primeira quinzena de novembro.

Mais Recentes da CNN