Aumento do preço do barril do Petróleo ainda não impacta combustíveis, diz ANP

Etanol e gás de cozinha apresentaram as maiores quedas de uma semana para outra

Elis Barretoda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O preço dos combustíveis no Brasil ainda não foi afetado pelos últimos aumentos no preço do barril do petróleo, pressionado pelos bombardeios russos na Ucrânia. O boletim semanal da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgado nesta sexta-feira (25), confirma a tendência de queda do preço da maior parte dos combustíveis.

No país, o etanol  foi encontrado com valor médio de R$ 4,63 nesta semana. Na anterior, o valor médio por litro era de R$ 4,69.

O combustível, extraído da cana de açúcar e do milho, foi afetado no ano passado devido ao impacto da crise hídrica nas plantações. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o etanol acumulou uma alta de 63,28% durante 2021, liderando o ranking da inflação.

 

 

A gasolina, que possui 27% de etanol anidro na composição, também vem em uma tendência de queda, mas ainda tímida. Segundo a ANP, o preço médio da gasolina comum na semana corrente foi de R$ 6,56, frente aos R$ 6,58 verificados na anterior.

O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, apresentou uma queda de quase R$ 0,30 no preço de uma semana para outra. De acordo com o boletim, o preço médio do botijão de 13kg nesta semana foi de R$ 102,36.

O Gás Natural Veicular (GNV) apresentou uma leve queda no preço do metrô cúbico, custando R$4,67, frente aos R$ 4,69 da última semana. O combustível, que há duas semanas teve o preço reajustado em alguns estados do país, pode ser um dos produtos derivados de petróleo que serão afetados com o aumento no preço do barril no mercado internacional.

O diesel, utilizado em veículos de grande porte como caminhão e ônibus, apresentou leve aumento. O preço médio do litro passou a custar R$ 5,59 nesta semana, frente aos R$ 5,57 da anterior.

Mais Recentes da CNN