Bolsas da Ásia fecham majoritariamente em baixa, com Evergrande de volta ao radar

Em Hong Kong, a ação da Evergrande sofreu um tombo de 12,54%

Mercado asiático acompanhou a preocupação das bolsas americanas
Mercado asiático acompanhou a preocupação das bolsas americanas Foto: Aly Song/Reuters

Sergio Caldas, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em baixa nesta quinta-feira (21) à medida que a endividada gigante do setor imobiliário chinês Evergrande voltou ao radar, ao fracassar na venda de uma fatia em uma de suas subsidiárias.

Na quarta-feira, a Evergrande informou que não conseguiu fechar a venda de 50,1% de sua unidade Evergrande Property Services, num acordo que renderia cerca de US$ 2,6 bilhões e ajudaria a empresa a evitar um calote.

Em Hong Kong, a ação da Evergrande sofreu um tombo de 12,54% hoje, voltando a ser negociada depois de uma paralisação que durou mais de duas semanas. O papel da Evergrande Property Services, por sua vez, teve queda de 8,01%. Já o índice Hang Seng encerrou o pregão em Hong Kong com baixa de 0,45%, a 26.017,53 pontos.

Em outras partes da Ásia, o Nikkei caiu 1,87% em Tóquio, a 28.708,58 pontos, em meio a dúvidas sobre as futuras políticas do novo primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, enquanto o sul-coreano Kospi registrou perda de 0,19% em Seul, a 3.007,33 pontos, e o Taiex ficou praticamente estável em Taiwan, com alta marginal de 0,01%, a 16.889,51 pontos.

Na China continental, o Xangai Composto teve modesto ganho de 0,22%, a 3.594,78 pontos, mas o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,16%, a 2.416,18 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana terminou o dia perto da estabilidade, com ligeira alta de 0,02% do S&P/ASX 200, a 7.415,40 pontos.

Mais Recentes da CNN