Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Caixa diz que investiga denúncias de assédio sexual na instituição

    Segundo a nota divulgada pelo banco, a investigação corre em sigilo, no âmbito da Corregedoria

    Banco diz que investigação interna foi instaurada em maio de 2022 e que foram realizados contatos com a denunciante, que permanece anônima
    Banco diz que investigação interna foi instaurada em maio de 2022 e que foram realizados contatos com a denunciante, que permanece anônima REUTERS/Pilar Olivares

    Pedro Zanattado CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    A Caixa Econômica Federal confirmou nesta quarta-feira (29) que recebeu, por meio de seu canal de denúncias, relatos de assédio sexual na instituição, mas sem citar o nome do ex-presidente do banco, Pedro Guimarães.

    Segundo a nota divulgada pelo banco, a investigação corre em sigilo, no âmbito da Corregedoria, “motivo pelo qual não era de conhecimento das outras áreas do banco”.

    A nota também diz que, no âmbito da investigação interna que está em andamento, instaurada em maio de 2022, foram realizados contatos com a denunciante, que permanece anônima.

    “Foram ainda realizadas diligências internas que redundaram em material preliminar, que está em avaliação. Portanto, a Corregedoria admitiu a denúncia e deu notícia ao/à denunciante, se colocando à inteira disposição para colher o seu depoimento, mantendo seu anonimato”, diz a nota.

    O banco destacou que o seu canal de denúncias é administrado por órgão externo à instituição, “que garante a transparência, segurança e proteção para denunciantes”.

    Nesta quarta-feira (29), Pedro Guimarães oficializou seu pedido de demissão do cargo de presidente da instituição. O pedido foi feito por carta e ocorreu após denúncias de assédio sexual que Guimarães teria cometido com funcionários do banco.

    Leia a íntegra da nota da Caixa Econômica Federal:

    A CAIXA repudia qualquer tipo de assédio e informa que recebeu, por meio do seu canal de denúncias, relato de casos desta natureza na instituição. A investigação corre em sigilo, no âmbito da Corregedoria, motivo pelo qual não era de conhecimento das outras áreas do banco. Por oportuno, a CAIXA destaca que o seu canal de denúncias é administrado por órgão externo à instituição, que garante a transparência, segurança e proteção para denunciantes (empregados, clientes, usuários, terceirizados, parceiros) que queiram apontar atos ilícitos cometidos por empregados CAIXA ou que tenham tido sua participação.

    No âmbito da investigação interna que está em andamento, instaurada em maio de 2022, foram realizados contatos com o/a denunciante, que permanece anônimo/a. Foram ainda realizadas diligências internas que redundaram em material preliminar, que está em avaliação. Portanto, a Corregedoria admitiu a denúncia e deu notícia ao/à denunciante, se colocando à inteira disposição para colher o seu depoimento, mantendo seu anonimato. Eventuais novas informações serão imediatamente integradas ao procedimento de apuração.

    Mais Recentes da CNN