Clima é fator comum da crise energética no país e no exterior, avalia professor

À CNN Rádio, Joelson Sampaio afirmou que todas as economias precisam encarar a política do clima com seriedade

Hidrelétrica de Furnas em São José da Barra (MG)
Hidrelétrica de Furnas em São José da Barra (MG) 7/09/2021REUTERS/Washington Alves

Amanda Garciada CNN*

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN Rádio nesta quinta-feira (30), o professor de economia da FGV-SP, Joelson Sampaio, analisou a crise energética que atinge o Brasil, países europeus e a China.

Na avaliação dele, os “fatores que causam essa crise energética são diferentes”, mas “todos têm um componente comum que é o clima.”

“Nós analisamos o Brasil, temos um problema de crise hídrica. Já a China e a Europa têm um componente diferente. A China com o carvão e a Europa com o gás, mas, de alguma forma, todos eles com relação com o clima, ou de impacto, quando analisamos as fontes energéticas utilizadas. Carvão e o gás têm impacto maior, e no nosso caso a escassez hídrica”, disse.

O economista foi categórico ao afirmar que a agenda climática é “uma lição para todas as economias, em todos os países”. “Essa questão de respeitar mais o meio ambiente, encarar a política do clima com seriedade é uma lição maior para todos os países, e todos têm que ter esse compromisso e responsabilidade.”

Joelson destacou que o momento é de recuperação econômica. “Estamos numa fase importante de retomada do crescimento, das economias, no pós-crise, estamos numa trajetória ascendente. O impacto que esse tipo de crise pode ter é em retardar a recuperação dessas economias, principalmente dos países emergentes, como o Brasil.”

*Com produção de Bel Campos

Mais Recentes da CNN