Com privatização, Porto de Santos será o maior do Hemisfério Sul, diz Tarcísio

Ministro da Infraestrutura afirma que o Brasil está caminhando para ter a estrutura mais privada do mundo e destaca a privatizações de portos em 2022

Ministro Tarcísio de Freitas
Ministro Tarcísio de Freitas Reuters

Fabrício Juliãodo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

Em solenidade que marcou a concessão de nove ferrovias do governo federal para o setor privado nesta quinta-feira (9), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que “o Brasil está caminhando para ter a estrutura mais privada do mundo” e que os portos serão os próximos a ser privatizados.

“Os portos serão privados em muito pouco tempo. A primeira privatização portuária foi aprovada ontem pelo TCU [Tribunal de Contas da União], no Porto do Espírito Santo. Ele irá à leilão provavelmente em março”, afirmou o ministro.

Tarcísio também disse que pretende privatizar outros portos nacionais e que, com os investimentos gerados, o Porto de Santos se tornará o maior do Hemisfério Sul.

“Na sequência vem São Sebastião, Itajaí e depois o Porto de Santos. E, com isso, ninguém segura mais esse movimento. Só em Santos são R$ 16 bilhões de investimentos, com aprofundamento de canal, de 15 para 17 metros, e investimentos em acesso, tanto ferroviário quanto rodoviário”, declarou.

“Vamos pegar o maior porto da América Latina e transformar no maior porto do Hemisfério Sul. O porto que movimentava 130 milhões de toneladas vai movimentar 250. Esse ano já movimenta 165”, acrescentou.

Durante a temporada de leilões do Ministério da Infraestrutura, o Super Infra, o terminal O STS08A do Porto de Santos foi arrematado pela Petrobras por R$ 558 milhões.

O terminal possui 297.349 metros quadrados e tem investimento previsto de R$ 678,3 milhões durante a vigência do contrato, que tem duração de 20 anos. Além deste valor, outros R$ 1,3 bilhão serão usados pela empresa vencedora em gastos operacionais.

Também estava prevista a concessão do terminal STS08, mas este não recebeu propostas no leilão, e o governo disse que fará novos estudos para relicitar a área.

Em 2021, treze terminais portuários foram ativos de concessões em leilões executados pelo Ministério da Infraestrutura. No total, foi gerado R$ 1,8 bilhão em investimentos, com R$ 813,7 milhões de outorga. Além disso, a pasta informa que a realização das concessões vai criar 26.993 empregos.

Mais Recentes da CNN