Concessões em transporte e saneamento podem gerar R$ 160 bi em 5 anos, diz Abdib

Relatório da Abdib analisou mais de 1600 projetos de concessões e PPPs previstos para ocorrerem até 2026

Novo Marco do Saneamento permitiu mais investimentos privados no setor, segundo associação
Novo Marco do Saneamento permitiu mais investimentos privados no setor, segundo associação Cedae / Reprodução

João Pedro Malardo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

A Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) estima que os setores de transporte e saneamento devem receber cerca de R$ 160 bilhões em investimentos até 2026, considerando iniciativas de concessão e parcerias público-privada (PPPs) federais, estaduais e municipais.

A previsão faz parte do Livro Azul da Infraestrutura, pesquisa lançada na segunda-feira (6). A associação analisou mais de 1600 projetos de concessões e PPPs que já ocorreram ou estão previstas para ocorrer até 2026, englobando os setores de transporte e logística, saneamento, energia e telecomunicações.

Do total de projetos, 1160 são ativos de blocos de exploração de petróleo e gás que foram ofertados pela União na 17ª rodada de leilões da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

O governo federal tem o maior número de projetos, com 10 na área ferroviária, 40 aeroportos federais, 34 terminais portuários e 28 segmentos rodoviários. Todos devem ir a leilão, prevendo tanto novos projetos quanto investimentos em concessões que já existem.

Nesse sentido, deve ocorrer, em 2022, a 7ª rodada do leilão de terminais aeroportuários, com investimentos nas licitações oferecidas previstos em R$ 8 bilhões. A Abdib destacou os projetos de desestatização dos portos de Santos, São Sebastião, Vitória, Salvador e Itajaí, previstos para 2022. Já no setor ferroviário, o destaque foi dado às concessões da Ferrogrão, prevista para 2022, e da Ferroeste, para 2023.

Considerando os estados, são 300 projetos, incluindo programas de desestatização, concessões e PPPs. A pesquisa também inclui projetos das capitais estaduais, com 80 iniciativas na área de infraestrutura econômica e social.

Contabilizando todos os projetos e as estimativas de investimento, a Abdb estima um acréscimo de investimento de R$ 19 bilhões a R$ 43 bilhões anualmente entre 2022 e 2026 nas áreas de infraestrutura e saneamento. Com isso, o total seria de R$ 160,1 bilhões.

A associação afirmou que o novo marco regulatório do setor de saneamento, aprovado em 2020, permitiu um “importante incremento da participação privada, com perspectivas de investimentos da ordem de R$ 60 bilhões em projetos”. A expectativa de investimentos entre 2022 e 2026 é de R$ 35,8 bilhões.

Já no setor de telecomunicações, a expectativa da Abdib é de um investimento total de R$ 160 bilhões nos próximos anos como consequência do leilão do 5G, de concessão de frequências para operação, que também ocorreu em 2021.

A pesquisa aponta que, entre 2019 e 2021, ocorreram 115 leilões para concessões nos setores, que geraram R$ 125 bilhões em outorgas com uma expectativa de mais de R$ 500 bilhões em investimentos nos próximos anos.

O ano de 2021 contou com 48 leilões até a divulgação da pesquisa, resultando em R$ 27,8 bilhões em outorgas e investimentos estimados em R$ 58,6 bilhões nos próximos anos.

Já em 2020, foram R$ 124,2 bilhões de investimentos nos quatro setores, correspondendo a 1,67% do Produto Interno Bruto (PIB) do país. Entretanto, a entidade afirma que são necessários, no mínimo, 4,3% do PIB em investimentos nos próximos dez anos para suprir os problemas de infraestrutura que o Brasil enfrenta.

 

 

Mais Recentes da CNN