Conheça a “profissional do olfato” responsável pelo cheiro dos carros Nissan

Engenheira supervisiona uma equipe de especialistas em odores que analisam cuidadosamente os cheiros de tudo o que entra em veículos

Tori Keerl e os membros de sua equipe são todos "cheiradores certificados"
Tori Keerl e os membros de sua equipe são todos "cheiradores certificados" Divulgação/Nissan

Peter Valdes-Dapenado CNN Business*

Ouvir notícia

As pessoas adoram aquele “cheiro de carro novo”. Para a maioria dos carros e SUVs, é uma mistura de plásticos, tecidos resistentes a manchas e talvez um pouco de couro também.

É um complexo coro olfativo de odores que provoca uma resposta emocional. Em empresas de automóveis como a Nissan, existem profissionais cujo trabalho é cheirar cuidadosamente e garantir que cada novo carro tenha o cheiro único de carro novo.

Tantas exigências são feitas em materiais usados ​​dentro de um carro – eles têm que durar anos, devem ser facilmente limpáveis, suportar temperaturas extremas e assim por diante – que esperar que eles também cheirem bem é pedir muito.

Mas essas demandas difíceis são o motivo pelo qual as montadoras empregam pessoas como Tori Keerl, engenheira de materiais do centro técnico da Nissan em Farmington Hills, no estado do Michigan, no Estados Unidos.

Keerl supervisiona uma equipe de especialistas em odores que analisam cuidadosamente os cheiros de tudo o que entra em veículos como o Nissan Pathfinder SUV e a picape Frontier. Eu a encontrei no salão do Salão do Automóvel de Nova York para falar sobre cheiros e testar meu próprio nariz.

Keerl foi originalmente contratada como engenheira de materiais plásticos, mas, em parte porque os plásticos compõem a maioria dos materiais dentro de um veículo não luxuoso, ela logo recebeu a responsabilidade geral pelo cheiro dos veículos da Nissan.

“Toda vez que lançamos um veículo, temos que testar o cheiro dele”, disse ela.

À medida que um novo modelo está sendo desenvolvido, Keerl e sua equipe cheiram peças individuais do veículo, como volantes, almofadas de assento e viseiras, antes de serem colocadas no veículo para garantir que tenham uma agradável – ou pelo menos inofensivo – cheiro.

“Então nós os colocamos no veículo”, disse ela. “Nós sentamos no veículo e nos certificamos de que, enquanto estamos sentados no banco do motorista e você no banco de trás, você sente aquele cheiro bom de carro novo.”

Os cheiros no banco da frente podem ser muito diferentes dos cheiros no banco de trás, disse ela. No banco da frente, há uma gama muito maior de materiais perto do nariz. Além dos bancos de couro ou tecido, existem os plásticos no painel e o que quer que seja feito o console de armazenamento central.

Há também todos os materiais de ligação, fios e adesivos que mantêm essas coisas juntas. No banco de trás, você está muito mais cercado apenas pelos materiais do assento. Há assentos à sua frente, atrás de você e embaixo de você. Depois, há o cheiro do material do tapete sob os pés.

Mesmo que todos os componentes do carro tenham, até então, sido pré-cheirados antes de serem instalados em um veículo protótipo, ainda há surpresas. Assim como na culinária, alguns cheiros que são bons, ou mesmo muito agradáveis, por conta própria podem se unir para criar um som infernal. Ou às vezes havia um cheiro que de alguma forma foi perdido em todas as inalações anteriores.

Então, a equipe de Keerl tem que começar a investigar. Ela e os membros de sua equipe são todos “cheiradores certificados”. (Existe um treinamento e certificação que envolve testes de identificação de cheiros cuidadosamente administrados.)

Eles começam sua investigação da mesma forma que você tentaria encontrar um odor estranho em seu próprio carro. Eles cheiram metodicamente cada centímetro do interior do carro até descobrirem de onde vem o cheiro ofensivo.

Uma vez que eles reduzem o odor estranho, eles começam o processo de descobrir exatamente qual material, ou combinação de materiais, está causando isso.

Muitas vezes, um odor desagradável no veículo totalmente montado é devido a um fornecedor ter alterado algum aspecto de como uma peça é feita. Nesse caso, Keerl disse que trabalhará com o fornecedor para descobrir o que mudou e ver se o problema pode ser corrigido.

Como o olfato de uma pessoa pode mudar ao longo do tempo, mesmo no dia a dia, os cheiradores profissionais são regularmente recertificados com testes cegos de olfato. Eles são fornecidos com frascos não rotulados de diferentes aromas e solicitados a identificar cada um.

Eu mesmo tentei e foi surpreendentemente difícil. Sentir um odor sem ver de onde ele vem é como ver o professor da primeira série do seu filho na fila do caixa do supermercado. Você sabe que já conheceu essa pessoa antes, mas, sem o contexto normal, não consegue lembrar onde ou como.

Como as atitudes em relação aos cheiros variam de uma cultura para outra, o trabalho de Keerl está focado em carros destinados a clientes norte-americanos. Os compradores de carros na Europa e na Ásia podem não apreciar um cheiro que achamos perfeitamente atraente aqui. Eles podem não gostar do “cheiro de carro novo” que os americanos apreciam, preferindo não ter cheiro nenhum.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN