Ações do Twitter saltam 23% após Elon Musk, da Tesla, comprar 9,2% das ações

Quantidade de ações seria suficiente para o bilionário ser o maior acionista da empresa

Musk é um usuário ativo do Twitter, e já fez críticas às políticas da rede social
Musk é um usuário ativo do Twitter, e já fez críticas às políticas da rede social Mike Blake/Reuters

Nivedita BaluEva Mathewsda Reuters

Ouvir notícia

O presidente-executivo da Tesla Elon Musk adquiriu no dia 14 de março uma participação acionária de 9,2% no Twitter, segundo um documento regulatório divulgado nesta segunda-feira (4), potencialmente tornando-o o maior acionista da empresa.

As ações do Twitter subiam 23% antes da abertura do mercado e seguiam com essa valorização no fim desta manhã (horário de Brasília) após a revelação, que ocorreu pouco após Musk postar na rede social que estava “pensando seriamente” na construção de uma nova plataforma de redes sociais.

As ações de outras empresas de rede sociais, incluindo a Meta (dona do Facebook, Instagram e Whatsapp) e a proprietária do Snapchat, Snap Inc, também estavam sendo negociadas em alta.

Musk possui 73,5 milhões de ações do Twitter, avaliando sua participação passiva na empresa em até US$ 2,9 bilhões com base no fechamento das ações na sexta-feira (1º). Os papéis são detidos pelo Elon Musk Revocable Trust.

O empresário, um usuário prolífico do Twitter, tem mais de 80 milhões de seguidores no site desde que ingressou em 2009 e usou a plataforma para fazer vários anúncios, incluindo um acordo de privatização para a Tesla que o colocou sob escrutínio regulatório.

Ele, no entanto, tem criticado a plataforma e suas políticas ultimamente e disse que a empresa está minando a democracia ao não aderir aos princípios de liberdade de expressão.

“Esperamos que essa participação passiva seja apenas o início de conversas mais amplas com o conselho/gerência do Twitter que podem levar a uma participação ativa e a um potencial papel de propriedade mais agressivo do Twitter”, escreveu o analista da Wedbush, Dan Ives, em nota.

Musk está vendendo sua participação na Tesla desde novembro, quando disse que abriria mão de 10% de sua participação na fabricante de carros elétricos. Ele já vendeu US$ 16,4 bilhões em ações desde então.

O Twitter foi alvo do investidor ativista Elliott Management Corp em 2020, quando o fundo de hedge argumentou que seu então chefe e cofundador, Jack Dorsey, estava prestando pouca atenção ao Twitter enquanto também administrava a empresa Square.

Dorsey deixou o cargo de CEO e presidente do conselho em novembro do ano passado, mas continua a possuir uma participação de 2,25% na empresa que o torna o sexto maior acionista, segundo dados da Refinitiv.

Enquanto isso, Musk e Dorsey têm alguns pontos em comum em termos de descartar a chamada Web3, um termo vago para uma versão utópica da internet descentralizada.

O bilionário também é o fundador e CEO da SpaceX e lidera a startup de chips cerebrais Neuralink e a empresa de infraestrutura The Boring Company.

Mais Recentes da CNN