Eletrobras: Estamos tratando de uma subavaliação de R$ 63 bilhões, diz ministro do TCU

Segundo Vital do Rêgo, foram encontrados erros no processo de privatização que prejudicam a outorga da estatal

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN na noite desta terça-feira (15), o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rêgo, afirmou que encontrou três “grandes erros” no processo de capitalização da Eletrobras.

“O maior deles foi na avaliação da outorga, seguido por um erro na taxa de desconto e um terceiro erro de risco ideológico. A soma destes três erros equivale a uma subavaliação de R$ 63 bilhões da venda da estatal. Isso quer dizer que a Eletrobras vai ser privatizada pela metade do preço”.

A aprovação da primeira etapa da privatização da Eletrobras ocorreu nesta terça (15). O TCU formou maioria para aprovar nos moldes propostos pelo governo. Rêgo foi o único voto contrário e defendeu a correção da outorga da estatal.

Além disso, Rêgo avalia que “foram erros graves por opções metodológicas”. Segundo ele, “o governo considerou apenas a venda da energia, sendo que ela não pode ser separada da potência total das hidrelétricas nos cálculos. Ao analisar os dois critérios juntos, o valor da outorga subiria mais R$ 63 bilhões, totalizando R$ 130 bilhões”, disse.

Na avaliação do ministro, a conclusão do processo de privatização da estatal vai gerar aumento nas tarifas de energia. “Mostramos com números da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) junto ao boletim da CNI, que a tarifa deve subir entre 14% e 16% para a indústria e para a residência. A indústria terá uma dupla penalização, já que o setor paga caro e precisa passar esse valor aos supermercados que consumimos”, afirmou.

Mais Recentes da CNN