Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Carros seminovos contrariam regra e apresentam valorização em 2021

    Em alguns casos, um seminovo a pronta entrega pode sair mais caro que um 0 km que tem uma fila de espera maior

    Hyundai HB20
    Hyundai HB20 Divulgação

    Thiago Morenocolaboração para o CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    Não é segredo que a indústria automotiva tem sofrido durante a pandemia. As paradas iniciais das linhas de montagem para evitar que o vírus se alastrasse desequilibraram a oferta e a demanda. Mais recentemente, a escassez de matérias-primas e de componentes eletrônicos fez com que a retomada da produção se dê em um ritmo mais lento que o necessário para atender ao anseio dos compradores.

    E as consequências já podem ser sentidas no bolso dos consumidores. Comprar um carro 0 km hoje já está muito mais caro do que dois anos atrás, refletindo os constantes aumentos de preço que as montadoras vêm fazendo na linha de produtos.

    Com menos carros nas lojas e valores mais elevados, aumentou-se a demanda por veículos seminovos e usados, o que também puxou seus preços para cima. Em alguns casos, um seminovo a pronta entrega pode sair mais caro que um 0 km que tem uma fila de espera maior.

    Tal efeito acabou sendo comprovado pelo levantamento anual de depreciação de veículos realizado pela Agência Autoinforme. Ela premia anualmente os modelos que menos perderam valor de revenda após 12 meses de uso na comparação com seu valor original 0 km no ano anterior. É assim que ocorre a premiação do “Selo Maior Valor de Revenda – Autos” da agência.

    Em 2021 foi a primeira vez em 20 anos do levantamento que a agência viu os concorrentes ao prêmio obterem valorização em todas as categorias analisadas, mesmo após um ano de uso. Anteriormente, o melhor resultado para um carro havia sido de 4,5% de depreciação depois de 12 meses, atingido pelo Honda HR-V em 2016.

    Na edição deste ano, o vencedor foi o Hyundai HB20, carro que valorizou 17,2% na comparação de seu valor médio de comercialização após um ano de uso ante seu preço original de venda quando 0 km. A Autoinforme acrescentou ainda que, dos 126 modelos analisados em 17 categorias na etapa final do levantamento, apenas 25 obtiveram depreciação. Os demais 101 carros valorizaram.

    Confira os carros seminovos que mais valorizaram em 2021 por categoria

    Hatch Compacto

    Hyundai HB20: +17,2%


    Hatch premium

    BMW Série 1: +12%


    Carro de entrada

    Renault Kwid: +14,5%


    Veículo Elétrico

    Nissan Leaf: +11,8%


    Veículo híbrido

    Volvo XC40 Hybrid: +13,2%


    Monovolume/Minivan

    Honda Fit: +13,3%


    Picape pequena

    Fiat Strada: +14,3%


    Picape compacta

    Fiat Toro: +12,3%


    Picape Média

    Ford Ranger: +16,1%


    Sedã de entrada

    Fiat Grand Siena: +12%


    Sedã compacto

    Hyundai HB20S: +15,7%


    Sedã médio

    Honda Civic: +12,9%


    Sedã grande

    Honda Accord: +4,6%


    SUV de entrada

    Volkswagen Nivus: +10,5%


    SUV compacto

    Chevrolet Tracker: +15,9%


    SUV médio

    Volkswagen Tiguan: +11,5%


    SUV grande

    Toyota SW4: +16,1%


    Tópicos

    Tópicos

    Mais Recentes da CNN