Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Empresas sustentáveis atraem investidores nas bolsas: conheça o termo ESG

    O “capitalismo consciente” tem feito com que diversas empresas passassem a olhar para outros fatores além do lucro, entenda mais no podcast "O que eu faço?"

    "O que eu faço?": CNN tem podcast para tirar dúvidas sobre investimentos e finanças pessoais
    "O que eu faço?": CNN tem podcast para tirar dúvidas sobre investimentos e finanças pessoais Foto: Divulgação

    Do CNN Brasil Business, em São Paulo

    Ouvir notícia

    O mundo não está mudando apenas por causa da pandemia da Covid-19. O chamado “capitalismo consciente” tem feito com que diversas empresas passassem a olhar para outros fatores além do lucro, como temas ligados à sustentabilidade e aos benefícios para a sociedade como um todo. Essas companhias são conhecidas como ESG (abreviação, em inglês, de Environmental, Social and Governance, ou, em português, Ambiental, Social e Governança Corporativa).

    Esse tema não é novo, mas ganhou muito mais força no início desse ano. Em janeiro, o executivo Larry Fink, presidente da BlackRock, a maior gestora de ativos do mundo, afirmou em uma carta que o foco de investimentos da companhia seria em empresas e setores que colocam a sustentabilidade no centro da estratégia. A gestora possui US$ 6,5 trilhões em investimentos, logo a carta não foi levada como uma simples declaração.

    Veja também:
    Confira aqui todos os episódios do “O que eu faço?”

    Com isso, fica a pergunta: vale a pena investir em empresas que são mais conscientes com o mundo? Na visão de Christiano Clemente, chefe de investimentos e Advisory do Santander Private Banking, é um movimento que cresce cada vez mais.

    “Ninguém quer olhar uma empresa que não tem processos ou propósitos definidos. Seja meio ambiente, questões sociais e outras externalidades: cada vez mais esse tema é mais discutido”, diz ele durante o novo episódio do podcast “O que eu faço?”.

    Números da própria BlackRock atestam esse movimento: no mundo, os ativos alocados em fundos ESG passaram de menos de US$ 700 bilhões em 2018 para US$ 900 bilhões em 2019, o maior volume registrado.

    Para entender melhor o assunto (e sabe se vale a pena investir em empresas sustentáveis) confira o novo episódio do “O que eu faço?”, comandado por Fernando Nakagawa, diretor do CNN Business, e Luciana Barreto, âncora da CNN.

    Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

    Mais Recentes da CNN