EUA fecham acordo para reduzir dependência da China na importação de aço e alumínio

Biden fechou acordo com a União Europeia para derrubar tarifas sobre a importação de aço e alumínio vindos da região

Presidente dos EUA, Joe Biden, na Casa Branca
Presidente dos EUA, Joe Biden, na Casa Branca CNN

Jeff MasonJan StrupczewskiCrispian Balmerda Reuters

Ouvir notícia

Os Estados Unidos e a União Europeia anunciaram, neste domingo (31), o fim de uma disputa sobre as tarifas do aço e do alumínio, iniciada em 2018, e disseram que tentariam trabalhar nos próximos dois anos para um acordo global sobre aço sustentável e alumínio.

“Os Estados Unidos e a União Europeia chegaram a um grande avanço que abordará a ameaça existencial da mudança climática ao mesmo tempo que protege os empregos e a indústria norte-americanos”, disse o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

Biden disse que o acordo removeu imediatamente as tarifas sobre o aço e o alumínio da União Europeia, impostas pelo governo anterior, o que vai reduzir os custos para os consumidores americanos.

Ele disse que um acordo baseado em carbono entre a União Europeia e os Estados Unidos no comércio de aço e alumínio restringiria o acesso aos mercados norte-americanos de aço “sujo”, de países como a China, e contraria as práticas de dumping de aço de outras nações.

“Tenho o prazer de anunciar que o presidente Joe Biden e eu chegamos a um acordo para suspender as tarifas sobre aço e alumínio e trabalhar juntos em um novo Acordo Global de Aço Sustentável”, disse o chefe da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em uma declaração à imprensa na companhia de Biden durante a reunião dos líderes do G20, em Roma.

Mais Recentes da CNN