Geração solar distribuída atinge 9 GW espalhados em 5.541 municípios

Desde 2012, foram mais de R$ 48 bilhões em novos investimentos, que geraram cerca de 270 mil empregos acumulados no período

Painéis de energia solar em Porto Feliz (SP)
Painéis de energia solar em Porto Feliz (SP) 13/02/2020REUTERS/Amanda Perobelli

Denise Luna, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

A geração solar distribuída atingiu a marca de 9 gigawatts (GW) de capacidade instalada no Brasil, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

A entidade prevê que 2022 poderá ser o melhor ano da energia solar já registrado no País desde 2012, com o maior crescimento do mercado e do setor na última década.

O Brasil possui atualmente mais de 828 mil sistemas solares fotovoltaicos conectados. Desde 2012, foram mais de R$ 48 bilhões em novos investimentos, que geraram cerca de 270 mil empregos acumulados no período, espalhados em todas as regiões do Brasil.

Ao todo, a tecnologia solar fotovoltaica está presente em mais de 5.541 municípios e em todos os estados brasileiros, sendo que os estados líderes em potência instalada são, respectivamente: Minas Gerais (1.545 MW), São Paulo (1.159 MW), Rio Grande do Sul (1.058 MW), Mato Grosso (618 MW) e Santa Catarina (476 MW).

Em potência instalada, os consumidores residenciais lideram o uso da energia solar, com 44,3%, seguidos de perto pelos pequenos negócios dos setores de comércio e serviços (33,1%), consumidores rurais (13,6%), indústrias (7,7%), poder público (1,1%) e outros tipos, como serviços públicos (0,1%) e iluminação pública (0,01%).

De acordo com análise da Absolar, a geração própria de energia solar seguirá crescendo e deverá praticamente dobrar sua potência operacional instalada, impulsionada pelos aumentos nas tarifas de energia elétrica acima da inflação e pela publicação da Lei nº 14.300/2021 (marco legal da microgeração e minigeração distribuída).

Mais Recentes da CNN