IGP-M em dezembro foi mais alto do que o mercado esperava, diz economista

Gesner Oliveira afirma que, apesar do resultado divulgado no último mês do ano, expectativa é de desaceleração para 2022

Produção de Juliana Alvesda CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O IGP-M (Índice Geral de Preços — Mercado), conhecido como ‘a inflação do aluguel’, aumentou 0,87% em dezembro, segundo divulgação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta quarta-feira (29). Após o anúncio do último resultado mensal do ano, o índice fechou com alta de 17,78%.

Em entrevista à CNN, o economista Gesner Oliveira afirmou que o resultado é mais elevado do que era esperado, mas a expectativa é de desaceleração para o ano que vem.

“A taxa do IGP-M em dezembro foi mais alta do que o mercado esperava, sobretudo em função do crescimento do preço da carne bovina”, afirmou.

O economista explicou que a reabertura do mercado chinês para importação da carne brasileira fez com que houvesse uma pressão maior sobre o preço. “Esse é o lado negativo” da retomada do acordo entre os países, observou Oliveira.

Além dos preços da carne bovina, a inflação do aluguel em dezembro foi puxada pelo aumento dos preços do café e da cana de açúcar, que subiram após as safras serem afetadas por geadas e secas.

“Esperamos uma desaceleração do índice, pois há perspectiva de safra recorde para o ano que vem. Portanto, aqueles impactos de geada e estiagem que foram muito importantes esse ano devem ser menos importantes no próximo”, avaliou o economista.

Gesner Oliveira projeta o IGP-M para uma taxa em torno de 5,5% em 2022, o que significa “uma desaceleração forte ao levar em consideração o número elevado de 2021 de 17,78%”.

“O IPCA também deve apresentar desaceleração no ano que vem  em função da política de taxa de juros do Copom, que deve começar a surtir efeitos. Acho que vai ficar próximo do teto da meta de inflação, e por isso considero que os dois índices vão ficar próximos de 5% e 5,5%”, acrescentou.

 

 

Mais Recentes da CNN