IGP-M, índice de reajuste do aluguel, encerra 2021 com alta acumulada de 17,78%

Índice de dezembro subiu 0,87%, após variar 0,02% em novembro

IGP-M: inflação do aluguel sobe 0,87% em dezembro
IGP-M: inflação do aluguel sobe 0,87% em dezembro Foto: Unsplash/Lucas Marcomini

Ana Carolina Nunesdo CNN Brasil Business

em São Paulo

Ouvir notícia

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), conhecido como ‘a inflação do aluguel’, aumentou 0,87% em dezembro, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV), em divulgação nesta quarta-feira (29). Em novembro, a variação foi de 0,02%.

Assim, o ano de 2021 acumula uma alta de 17,78% no índice usado pela grande maioria dos contratos de aluguel para calcular o reajuste. Em 2020, o Índice terminou o ano com avanço acumulado em 12 meses de 23,14%.

De acordo o economista da FGV, André Braz, a alta foi puxada pelo aceleração dos preços da carne e outros produtos agrícolas .“A maior contribuição para o resultado do IGP-M de dezembro partiu do índice ao produtor. O resultado deste mês foi influenciado pela aceleração dos preços de bovinos (11,69%), reflexo da demanda doméstica e da retomada das exportações e, pela aceleração dos preços de safras afetadas por geadas e seca, como café (12,52%) e cana-de-açúcar (2,83%)”, afirma Braz, coordenador dos Índices de Preços.

Ainda segundo Braz, os últimos itens também ajudam a explicar a elevação de 20,57% acumulada pelo IPA em 2021. “Os preços da cana-de-açúcar avançaram 57,13% no ano, enquanto o preço do café subiu 152,35%, no mesmo período”. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) subiu 0,95% em dezembro, após queda de 0,29% em
novembro.

Conforme levantamento da FGV, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,84% em dezembro, ante 0,93% em novembro. A queda foi provocada por seis das oito categorias que compõem o índice, sendo a principal delas no grupo Transporte, que saiu de 2,93% em novembro para 1,26% agora em dezembro. A FGV destaca neste grupo a contribuição da gasolina, que saiu de 7,14% em novembro para 2,24% em dezembro.

As outras categorias que tiveram variação negativa foram Alimentação (0,74% para 0,54%), Comunicação (0,17% para 0,05%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,21% para 0,17%), Despesas Diversas (0,22% para 0,13%) e Vestuário (0,62% para 0,61%). No grupo Alimentação, chama a atenção o item hortaliças e legumes, que foi de 9,88% para -3,07%.

Já no grupo Habitação, houve alta de 0,37% para 1,09% em dezembro, puxada pelo item ‘tarifa de eletricidade’, que saiu de 0,12% para 3,11%. O item ‘passagem aérea’ também se destaca ao registrar alta de 11,52% em dezembro após variar 1,62% em novembro.

Outro índice calculado pela FGV e divulgado nesta quarta-feira é o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que variou 0,30% em dezembro, contra 0,71% em novembro. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de novembro para dezembro: Materiais e Equipamentos (1,23% para 0,48%), Serviços (0,49% para 0,57%) e Mão de Obra (0,28% para 0,10%).

Mais Recentes da CNN