Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Levantamento mostra o sobe e desce das criptomoedas em março; confira

    Criptomoeda que liderou ranking teve alta de 347% no mês passado; Fantom lidera perdas pelo segundo mês seguido

    Pelo segundo mês consecutivo, criptomoeda fantom tem o pior desempenho
    Pelo segundo mês consecutivo, criptomoeda fantom tem o pior desempenho Kanchanara/ Unsplash

    Artur Nicocelido CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    Levantamento realizado mensalmente pela QR Asset mostra que as criptomoedas waves e THORChain lideraram a valorização em março, enquanto a fantom, pelo segundo mês seguido, ficou com o pior desempenho no período.

    A alta de waves é atribuída a otimizações que aconteceram nas últimas semanas, “que visam melhorar a percepção de risco do ativo”, afirma Theodoro Fleury, gestor da QR Asset Management.

    O primeiro anúncio foi a migração para o Waves 2.0, compatível com a rede ethereum. O segundo foi uma parceria como o protocolo Allbridge, que possibilita o usuário realizar transferências de ativos entre diferentes redes. E o terceiro anúncio foi a criação de um fundo de US$ 150 milhões para investimento em DeFi (finanças descentralizadas).

    Já a THORChain anunciou, em março, a entrada de ativos sintéticos em sua plataforma, que são uma classe de ativos que reproduzem a variação de outro. Por exemplo, o sUDS, que reproduz a cotação do dólar americano, e o renBTC, que espelha o bitcoin.

    Na plataforma THORChain, os usuários podem simplesmente trocar um ativo por outro sem precisar de terceiros. E, para realizar as conversões, é necessário usar o token nativo de mesmo nome. Dessa forma, “a criptomoeda valorizou”, explica o gestor da QR Asset Management.

    O token nativo é uma criptomoeda que opera em seu próprio blockchain.

    Veja os melhores desempenhos:

    Fantom lidera perdas pelo 2º mês

    Desta vez, o recuo da Fantom não está relacionado às questões macroeconômicas, como aconteceu em fevereiro. A queda da criptomoeda aconteceu devido à saída de Andre Cronje, fundador do protocolo Yearn Finance, do universo cripto.

    Ele era conhecido no mercado de criptomoedas como “poderoso chefão das finanças descentralizadas”.

    “Nos últimos meses, ele vinha desenvolvendo um protocolo chamado Solidly, que roda na rede Fantom, e sua inesperada saída não agradou o mercado”, diz Fleury.

    Já a cripto mana sofreu apenas uma reavaliação por parte dos investidores. Devido à alta performance nos últimos meses, os investidores optaram por vender a cripto e comprar outros ativos mais desvalorizados, “causando uma baixa de preço”, diz o gestor da QR Asset Management.

    Mais Recentes da CNN