Mercado de franquias supera perdas de 2020 e cresce 10,7% em 2021, diz associação

Para 2022, a Associação Brasileira de Franchising projeta um crescimento de 9% do faturamento

Pedro Zanattado CNN Brasil Business

Em São Paulo

Ouvir notícia

O faturamento das franquias no Brasil passou de R$ 167,187 bilhões em 2020 para R$ 185,068 bilhões em 2021, um crescimento nominal de 10,7%. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (16) pela Associação Brasileira de Franchising (ABF).

O balanço anual mostra que o faturamento de 2021 chegou próximo do patamar registrado em 2019, período pré-pandemia, que foi de R$ 186,755 bilhões.

Já no quarto trimestre de 2021, cuja comparação já se deu com um período menos impactado pela pandemia, o crescimento foi de 5%, alcançando R$ 56,663 bilhões, 3,1% acima do mesmo período de 2019.

Para a associação, a flexibilização das medidas restritivas, o bom desempenho de alguns setores beneficiados pela maior permanência das famílias em casa e os ganhos de eficiência das redes de franquias, que investiram mais na digitalização de suas operações e em novos modelos de negócios são fatores que contribuíram para esse bom desempenho.

De acordo com o estudo, todos os 11 segmentos elencados pela ABF apresentaram crescimento em 2021 na comparação com o ano anterior. Pelo segundo ano consecutivo, os principais destaques foram Casa e Construção, com alta de 19,3%, e Saúde, Beleza e Bem-Estar, com elevação de 10,5%, com resultados obtidos sob bases não depreciadas.

Para André Friedheim, presidente da ABF, os dados mostram que o setor está reagindo após os impactos da pandemia. “Os dados mostram que o mercado de franquias registrou uma recuperação mais homogênea em 2021 na comparação com 2020”.

O estudo aponta ainda que mais empresas adotaram o sistema de franchising no último ano, assim como houve uma disseminação maior de modelos como ‘home based’, baseadas em casa, e franquias digitais, que podem ser administradas de forma remota.

A pesquisa também revela a melhora na geração de empregos. Em relação a 2020, o número de trabalhadores diretos no setor aumentou 12,1%, passando de 1.258.884 para 1.411.319 no ano passado, e 3,9% a mais frente a 2019.

Redes e unidades crescem

Em 2021, a associação identificou um crescimento de 9,1% no total de unidades de franquia na comparação com 2020, e de 6,2% em relação a 2019, totalizando 170.999 operações. A mortalidade foi de 5,5%, retornando a patamares próximos ao período pré-pandemia.

Sobre o número de redes, o balanço de 2021 indica que houve um avanço de 8,0% em relação a 2020. Com isso, o Brasil totalizou 2.882 marcas no ano passado ante 2.668 em 2020.

Impacto da inflação

Sobre o impacto da inflação no setor, a associação identificou que 67% das marcas afirmam ter repassado o impacto através do ajuste de preços, mas na média de apenas 30% do impacto total recebido. Além disso, a readequação das operações, feita por 58%, e troca de fornecedores, feita por 44%, foram outras medidas tomadas para administrar os reflexos da inflação.

Projeções

Para este ano, a associação projeta um crescimento de 9% do faturamento, de 2% das redes, de 5% em unidades e também de 5% no número de empregos diretos gerados pelo setor.

Mais Recentes da CNN