Ministério de Minas e Energia diz que avalia novo nome após desistência de Landim

Rodolfo Landim, atual presidente do Flamengo, recusou a indicação afirmando que não conseguiria conciliar os dois cargos

Petrobras terá Assembleia Geral em 13 de abril para analisar indicados do governo federal
Petrobras terá Assembleia Geral em 13 de abril para analisar indicados do governo federal Sergio Moraes/Reuters

João Pedro Malardo CNN Brasil BusinessRudá Moreirada CNN

em São Paulo e em Brasília

Ouvir notícia

O Ministério de Minas e Energia afirmou à CNN que está “avaliando com a responsabilidade que a situação requer” um novo nome para indicar à presidência do conselho da Petrobras.

O primeiro indicado pelo governo federal, Rodolfo Landim, desistiu da indicação no domingo (3), alegando que não conseguiria conciliar o cargo com a presidência do Flamengo, que já exerce.

Ainda segundo a pasta, o indicado para a presidência da Petrobras, Adriano Pires, está cumprindo os trâmites legais e administrados para que o nome dele seja proposta na Assembleia Geral Ordinária de acionistas no dia 13 de abril.

“Temos que aguardar todas essas análises e, se tiver algum óbice, se pode ser superado”, diz o ministério.

Ao informar sua decisão, Landim disse que “apesar do tamanho e da importância da Petrobras para o nosso país, e da enorme honra para mim em exercer este cargo, gostaria de informá-lo que resolvi abrir mão desta indicação, concentrando todo meu tempo e dedicação para o ainda maior fortalecimento do nosso Flamengo”.

Landim é mais conhecido por comandar o Clube Regatas do Flamengo, porém, tem ampla experiência no setor de óleo e gás. Ocupou cargos de gestão na Petrobras por 26 anos, incluindo a presidência da Gaspetro e da Vibra, antiga BR Distribuidora.

Ele deixou a estatal para trabalhar com o empresário Eike Batista na mineradora MMX e na petroleira OGX, mas se desentendeu com ele antes do conglomerado quebrar.

Fundou então sua própria petroleira, a Ouro Preto Óleo e Gás que acabou vendendo para um grupo de investidores em fevereiro de 2020. Chegou a ser cotado para a presidência executiva da Petrobras em diversas ocasiões.

Mais Recentes da CNN