Musk afirma que contas falsas correspondem a 20% dos usuários do Twitter

Bilionário cobra mais informações sobre participação de "bots" para avanço da negociação de compra da emprsa

Elon Musk e Twitter
Elon Musk e Twitter SOPA Images/LightRocket via Gett

Hyunjoo JinKatie PaulKrystal Huda Reuters

Ouvir notícia

Elon Musk disse nesta terça-feira (17) que suspeita que pelo menos 20% dos usuários do Twitter sejam contas falsas, de spam e controladas por “bots”, e que sua oferta de US$ 44 bilhões não avançará até que a empresa prove que essas representam menos de 5% do total de usuários.

“Minha oferta foi baseada na precisão dos registros do Twitter na SEC. Ontem, o CEO do Twitter se recusou publicamente a mostrar prova de <5% (contas de spam). Este acordo não pode avançar até que ele o faça”, disse Musk em um tweet horas depois de sugerir que poderia buscar um preço mais baixo pela empresa.

“Você não pode pagar o mesmo preço por algo que é muito pior do que eles alegaram”, disse o bilionário na conferência All-In Summit 2022 em Miami na segunda-feira (16).

Questionado se o acordo com o Twitter é viável a um preço diferente, Musk disse na conferência: “Quero dizer, não está fora de questão. Quanto mais perguntas eu faço, mais minhas preocupações crescem”.

“Eles alegam que têm essa metodologia complexa que só eles podem entender… Não pode ser algum mistério profundo que seja, tipo, mais complexo do que a alma humana ou algo assim”, completou.

As ações caíram mais de 8% na segunda-feira, fechando a US$ 37,39, abaixo do nível do dia anterior a Musk revelar sua participação no Twitter no início de abril.

O CEO da rede social, Parag Agrawal, disse que as estimativas internas de contas de spam na plataforma nos últimos quatro trimestres foram “bem abaixo de 5%”, respondendo a dias de críticas de Musk.

A estimativa do Twitter, que permanece a mesma desde 2013, não pode ser reproduzida externamente devido à necessidade de usar informações públicas e privadas para determinar se uma conta é spam, disse Agrawal.

Musk respondeu à defesa de Agrawal da metodologia com um emoji de cocô. “Então, como os anunciantes sabem o que estão ganhando com seu dinheiro? Isso é fundamental para a saúde financeira do Twitter”, escreveu ele.

O bilionário prometeu mudanças nas práticas de moderação de conteúdo do Twitter, protestando contra decisões como a proibição do ex-presidente Donald Trump, ao mesmo tempo em que se comprometeu a reprimir os “bots de spam”.

Pesquisadores independentes estimaram que 9% a 15% dos perfis do Twitter são bots. Contas falsas ou de spam são projetadas para manipular ou aumentar artificialmente a atividade em plataformas de redes sociais.

Atualmente, o Twitter não exige que os usuários se registrem usando suas identidades reais e permite perfis automatizados, paródicos e pseudônimos.

Mais Recentes da CNN