Nos EUA, até lojas de conveniência têm tido dificuldade de reabastecimento

Operadores de lojas de conveniência dizem que interrupções da cadeia de suprimentos também afetaram sua capacidade de atender clientes

Prateleiras de carne parcialmente vazias em supermercado de Miami, na Flórida, em 11 de janeiro de 2022
Prateleiras de carne parcialmente vazias em supermercado de Miami, na Flórida, em 11 de janeiro de 2022 Joe Raedle / Getty Images

Parija Kavilanzdo CNN Business

Ouvir notícia

Os consumidores norte-americanos já estão lidando com a escassez imprevisível de produtos e prateleiras vazias em seus supermercados favoritos. Mas se eles esperam suprir algumas necessidades cotidianas em lojas de conveniência de bairro, podem se frustrar mais uma vez.

As lojas de conveniência geralmente servem como um substituto ideal para uma mercearia quando tudo o que é necessário é uma caixa de água, alguns sacos de batatas fritas ou talvez apenas uma caixa de leite.

Isso torna as lojas locais perfeitas para a rápida viagem de supermercado no meio da semana, disse Arie Kotler, presidente e CEO da Arko Corp., que opera mais de 1.400 lojas de conveniência de pequeno formato em 28 estados.

Mas os operadores de lojas de conveniência dizem que as interrupções contínuas da cadeia de suprimentos também afetaram sua capacidade de atender adequadamente às necessidades de clientes em cidades maiores e, mais importante, às necessidades diárias essenciais dos clientes em mercados secundários e áreas rurais onde uma loja de conveniência pode ser a única loja na cidade para itens alimentares.

Kevin Smartt, CEO da cadeia de lojas de conveniência TXB (que significa Texas Born) tem monitorado de perto os relatórios semanais de disponibilidade de produtos de seus distribuidores.

A empresa opera 50 lojas no Texas e Oklahoma. Cada local tem uma média de 4.500 “pés quadrados” (o equivalente a 418 metros quadrados), servindo uma mistura de alimentos preparados na hora, como tacos, saladas e sanduíches, além de uma variedade de produtos embalados para viagem. Alguns locais também vendem frutas e legumes.

“Aqui está a magnitude do problema agora”, disse Smartt. “Como uma rede, provavelmente temos uma média de 6.500 a 8.000 tipos de produto fora de estoque por semana dos fabricantes”, disse ele.

Esse é um número muito alto. Em toda a TXB, os produtos fora de estoque estão em média de 12% a 13% atualmente, disse Smartt. “Em um ambiente normal, seria cerca de 1,5%.”

Smartt disse que o plano de contingência usual seria reabastecer com outra marca, mas mesmo isso está se mostrando difícil.

“É uma luta diária comprar marcas substitutas de fornecedores alternativos para os produtos que carregamos. É uma zona de guerra porque todo mundo está fazendo a mesma coisa”, disse ele. “É um pesadelo logístico e às vezes os substitutos que temos que comprar são mais caros.”

Embora a TXB tenha lojas em cidades maiores como Austin, no Texas, a maioria de suas localizações está em cidades pequenas, muitas com populações de apenas 2.000 a 3.000 habitantes, onde é a única loja da cidade, disse ele.

"Desculpe, esses produtos estão fora de estoque": aviso em prateleira vazia de supermercado
“Desculpe, esses produtos estão fora de estoque”: aviso em prateleira vazia de supermercado / Craig Hastings / Getty Images

“Nesses lugares, a loja de conveniência é uma tábua de salvação para a comunidade”, disse Smartt. “Há muita frustração por parte dos clientes. Qualquer coisa acima dos desafios da cadeia de suprimentos, como o mau tempo, está piorando a situação.”

Isso também é um desafio para a Arko, que tem a maioria de suas lojas em pequenas cidades e áreas rurais.

“Em muitas comunidades, somos nós”, disse Mike Welsh, vice-presidente sênior de operações da empresa. “É uma cidade com uma montanha ao redor, por exemplo. Há uma escola secundária e uma prefeitura. É uma pequena comunidade onde o time de futebol da escola vem até nós depois de um jogo para comemorar.”

Essas comunidades tendem a depender da loja de conveniência local para mais do que comprar comida.

“Um departamento de saúde local nos contatou sobre uma loja no sudoeste da Virgínia para usá-la como local móvel para vacinas”, disse Welsh. A variante Omicron se espalhou pelos próprios funcionários da Arco, embora Welsh tenha dito que as lojas até agora evitaram o fechamento.

Welsh disse que alguns locais de Arco têm cozinhas que preparam alimentos prontos para comer, como pizzas e frango. Outros produtos são o que você normalmente espera encontrar em uma loja de conveniência – água engarrafada, refrigerantes, batatas fritas e doces.

Outras mercadorias foram adicionadas ao longo da pandemia, como sabonetes, máscaras e lenços umedecidos. “A comunidade depende de nós para todos esses produtos. Para nós, especialmente em nossos mercados, é fundamental ter uma cadeia de suprimentos bem lubrificada que esteja se movendo rapidamente”, disse ele.

Assim como a TXB, Welsh disse que os compradores das lojas de conveniência da Arko têm menos opções devido à desaceleração da cadeia de suprimentos. “Estamos tentando preencher as lacunas com itens substitutos e, às vezes, simplesmente não conseguimos”, disse ele.

A incerteza de não saber o que eles poderão comprar em um determinado dia por causa da escassez está deixando os clientes ansiosos.

Em uma loja da Arko, Welsh viu recentemente que um grupo de clientes fez fila cedo, antes que os caminhões de entrega fossem programados para chegar. “Eles estavam lá fora esperando que os caminhões fossem descarregados na esperança de conseguir o que precisavam”, disse ele.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN