Polônia e Lituânia inauguram gasoduto e buscam reduzir dependência da Rússia

Gasoduto, que percorre mais de 500 km, abre em um momento em que a "Rússia mais uma vez tentou nos chantagear usando o gás" disse presidente da Polônia

Antes da construção do gasoduto, os países só recebiam gás diretamente da Rússia
Antes da construção do gasoduto, os países só recebiam gás diretamente da Rússia 13/10/2010REUTERS/Kacper Pempel

Associated Press, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

Um gasoduto de 500 milhões de euros entre Lituânia e Polônia foi inaugurado nesta quinta-feira (5), completando mais uma fase do processo de redução da dependência de fontes de energia russas.

O gasoduto, que percorre mais de 500 quilômetros, abre em um momento em que a “Rússia mais uma vez tentou nos chantagear usando o gás“, disse o presidente polonês, Andrzej Duda na inauguração.

A primeira-ministra da Lituânia, Ingridas Simonyte, acrescentou que “qualquer redução ou desaparecimento desta fonte de financiamento teria um impacto muito significativo sobre a economia russa e a capacidade de continuar a financiar a guerra na Ucrânia”.

O trecho Lituânia-Polônia está integrado a oleodutos em outros dois Estados bálticos — Estônia e Letônia –, além da Finlândia.

Antes da construção do gasoduto, os países só recebiam gás diretamente da Rússia.

Mais Recentes da CNN