Powell ganha votos suficientes no Senado para confirmação como chefe do Fed

Indicado por Joe Biden, Powell obteve apoio bipartidário em um Senado dividido, com uma contagem final de 80 senadores a favor de sua indicação e 19 contra

Jerome Powell, chair do Fed, alcançou uma contagem a seu favor acima dos 51 votos necessários para sua confirmação
Jerome Powell, chair do Fed, alcançou uma contagem a seu favor acima dos 51 votos necessários para sua confirmação Tom Williams/Pool via REUTERS

da Reuters

Ouvir notícia

O Senado dos Estados Unidos confirmou nesta quinta-feira (12) Jerome Powell para um segundo mandato de quatro anos como chefe do Federal Reserve, o que abre caminho para que ele continue a liderar o banco central dos EUA, que está em plena batalha contra a inflação mais alta em 40 anos.

Powell, indicado pelo presidente norte-americano, Joe Biden, obteve apoio bipartidário em um Senado dividido, com uma contagem final de 80 senadores a favor de sua indicação e apenas 19 contra.

A maioria dos votos contrários veio de republicanos, porém alguns democratas, como Bob Menendez e Elizabeth Warren, se juntaram a eles.

Menendez disse que Powell não fez o suficiente para promover a diversidade na liderança do Fed, e Warren, afirmou que ele não cumpriu totalmente com a regulação bancária.

Ainda assim, no geral, a votação foi uma aprovação da maneira como Powell lidou com a crise que a pandemia de Covid-19 desencadeou e a curta, mas historicamente profunda, recessão de 2020 que marcou seu primeiro período no cargo.

Também oferece um mandato para prosseguir com o que pode ser o conjunto mais acentuado de aumentos da taxa de juros desde o início dos anos 1980, quando Paul Volcker liderou o banco central.

Powell, que está no Conselho de Diretores do Fed desde 2012, foi nomeado pela primeira vez para chefiar a instituição por Donald Trump, que logo se desagradou com ele por uma série de altas de juros.

Trump até cogitou tentar derrubar Powell, mas republicanos e democratas saíram em sua defesa, e o chefe do Fed recebeu muitos elogios por defender a independência do banco central durante o tumulto.

Biden tem sido mais discreto com o Fed, mas o presidente democrata viu seus índices de aprovação caírem por causa do avanço da inflação, que ainda está acima de 8% ao ano. Biden recentemente lembrou aos norte-americanos que o trabalho do banco central é principalmente combater a inflação, e ele não tem se agitado por qualquer ação específica da instituição.

Mais Recentes da CNN