QuintoAndar abandona IGP-M e vai reajustar aluguéis pelo IPCA

O IGP-M avançou 18,10% de janeiro a outubro. No mesmo período, o IPCA teve variação positiva de 2,2%

<strong>QuintoAndar vai reajustar contratos de alguel pelo IPCA, abandonando o criticado IGP-M</strong>
QuintoAndar vai reajustar contratos de alguel pelo IPCA, abandonando o criticado IGP-M Foto: Reprodução/Facebook

Leonardo Guimarães,

do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

O IGP-M (Índice Geral de Preços ao Mercado) deixou muita gente de cabelo em pé em 2020. Isso porque a “inflação do aluguel” subiu 24,52% nos últimos meses. Mas quem aluga pelo QuintoAndar não precisa mais se preocupar com esse índice. 

A startup anunciou hoje que vai deixar de usar o IGP-M para reajustar os contratos firmados na plataforma, que é a maior do Brasil para aluguel e compra de imóveis. A partir da próxima segunda-feira (30), os aluguéis serão reajustados pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). 

Leia também:
Aluguel pode subir 25%, mas situação econômica favorece negociação. Veja dicas
QuintoAndar usa tecnologia para recomendar preço justo de aluguel de imóveis

A diferença entre os índices é enorme. Para se ter uma ideia, o IGP-M avançou 18,10% de janeiro a outubro. No mesmo período, o IPCA teve variação positiva de 2,2%. 

O uso do IGP-M como indicador que decide o valor dos aluguéis é muito questionado por especialistas. Não só pelo aumento totalmente descolado de outros índices como pela composição do indicador, que tem vários produtos industriais que não fazem parte do cotidiano dos consumidores. 

Só para deixar claro: o movimento do QuintoAndar não infringe lei alguma, já que o uso do IGP-M no reajuste dos aluguéis é apenas uma convenção e não há regra alguma que define um indexador de aluguéis padrão. 

Outras iniciativas

O preço do aluguel já é uma preocupação antiga da startup. No início de novembro, a empresa lançou o Índice Quinto Andar, que leva em conta o valor dos contratos fechados, e não dos anúncios. A empresa promete que a nova forma de calcular o preço médio do metro quadrado em cada região do Brasil permite uma calibragem melhor das ofertas. 

“A gente percebia que havia uma diferença expressiva entre o preço pedido no anúncio e o valor fechado em contrato, mas isso não era capturado em nenhum índice oficial ou recorrente, era só a percepção das pessoas”, disse na ocasião o CEO da empresa, Gabriel Braga. 

O QuintoAndar afirma que a alta dos preços não faz bem, claro, para quem aluga ou para vende. 

Em entrevista recente ao CNN Business, Gabriel Braga falou sobre uma ferramenta que a empresa lançou para ajudar os donos a precificar seus imóveis. A ferramenta é capaz de levar em conta características únicas das unidades residenciais ou comerciais, como seu estado de conservação e se elas são ensolaradas ou não. 

O resultado é que, durante o período de testes do novo algoritmo, a taxa de conversão (de aluguéis) aumentou 40% e os proprietários receberam 15% a mais de propostas de potenciais inquilinos. 

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN