Recuperação econômica continua desigual e prejudica emergentes, segundo a OCDE

Secretário-geral da organização atribuiu diferença ao avanço lento da vacinação contra a Covid-19 em países emergentes

OCDE defendeu que a retomada da crise precisa ser "verde e resiliente"
OCDE defendeu que a retomada da crise precisa ser "verde e resiliente" John McArthur/Unsplash

Iander Porcella e Gabriel Bueno da Costa, do Estadão Conteúdo

Ouvir notícia

O secretário-geral da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Mathias Cormann, afirmou nesta quarta-feira (6) que a recuperação econômica continua desigual no mundo, o que expõe mercados emergentes a riscos, principalmente devido ao avanço lento da vacinação contra a Covid-19 nesses países, que gera novos surtos da doença.

Em uma coletiva imprensa após o encerramento da reunião ministerial anual da OCDE, Cormann também defendeu que a retomada da crise precisa ser “verde e resiliente”.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, que também participou da coletiva, destacou a mudança climática como uma das principais crises que o mundo enfrenta.

Ele também afirmou que houve conversas “produtivas” entre os Estados Unidos e a França nos últimos dias.

Recentemente, houve um estranhamento diplomático entre Washington e Paris depois que os EUA fecharam um acordo na área de segurança no Indo-Pacífico com o Reino Unido e a Austrália, chamado de Aukus. Isso levou o governo australiano a cancelar a compra de um submarino francês.

Mais Recentes da CNN