Rede D’Or compra SulAmérica e acelera consolidação no setor de saúde

A operação avalia a seguradora em cerca de R$ 13 bilhões e é maior aquisição da Rede D'Or desde que ingressou na B3, em maio passado

Empresa SulAmérica é tradicional no ramo de saúde
Empresa SulAmérica é tradicional no ramo de saúde SulAmérica/Divulgação

Aluisio Alvesda Reuters

Por Aluisio Alves, da Reuters

Ouvir notícia

O grupo hospitalar Rede D’Or anunciou nesta quarta-feira (23) que acertou a compra da SulAmérica, reforçando o processo de consolidação do setor de saúde no Brasil acelerado após a pandemia da Covid-19.

A operação, toda em ações, avalia a seguradora em cerca de R$ 13 bilhões e é maior aquisição da Rede D’Or desde que a companhia marcou sua estreia na B3, em maio passado com uma oferta inicial de ações (IPO) de R$ 11,5 bilhões.

O anúncio acontece alguns dias após a conclusão da fusão entre Hapvida e Notre Dame Intermédica, anunciada em fevereiro de 2021.

A própria Rede D’Or tem acelerado seu crescimento por meio de aquisições, incluindo redes de hospitais menores. Em dezembro, recebeu sinal verde do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para elevar fatia na Qualicorp.

Pela operação anunciada nesta quarta-feira, aprovada pelo conselho de administração das duas empresas, a holding controladora da SulAmérica será extinta e sucedida pela Rede D’Or. Os acionistas da SulAmérica ficarão com 13,5% do capital da Rede D’Or. A transação envolve prêmio de 49,3% aos acionistas da SulAmérica com base em 18 de fevereiro.

Pelos termos do acordo, os controladores da SulAmérica se obrigaram a não negociar proposta concorrente à da Rede D’Or sob pena de multa de R$ 2 bilhões.

O anúncio da venda para a Rede D’Or ocorreu no mesmo dia em que a SulAmérica divulgou que teve prejuízo de R$ 31,2 milhões no quarto trimestre, ante lucro de R$ 42,6 milhões um ano antes, com forte piora nos índices de sinistralidade. O indicador consolidado passou de 79,5% no quarto trimestre de 2020 para 88,4% no final do ano passado.

 

Mais Recentes da CNN