Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rússia está mais perto de usar seu gás natural para “chantagear” Europa

    Putin deu ao banco central da Rússia e à Gazprom, a empresa estatal de gás, até quinta-feira (31) para apresentar propostas para aceitar pagamentos em rublos

    Funcionário em local de construção do gasoduto Nord Stream 2, na Rússia
    Funcionário em local de construção do gasoduto Nord Stream 2, na Rússia 05/06/2019REUTERS/Anton Vaganov

    Charles Rileydo CNN Business

    Ouvir notícia

    Nas semanas desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, Moscou continuou a enviar gás natural para o oeste e a Europa usou a energia para abastecer a indústria e aquecer residências. Isso pode estar prestes a mudar.

    O presidente Vladimir Putin exigiu que os países “hostis” comecem a pagar pelo gás natural com rublos em vez de dólares americanos ou euros, conforme acordado em seus contratos de fornecimento. A Alemanha, o maior cliente de energia da Rússia na Europa, descartou a diretiva de Putin como “chantagem”.

    “Um pagamento com rublos não é aceitável”, disse o ministro da Economia alemão, Robert Habeck, na segunda-feira (28), acrescentando que “não seremos divididos e a resposta dos estados do G7 é inequívoca: os contratos serão cumpridos”.

    A disputa de pagamento ameaça o fornecimento de gás que continuou a fluir mesmo quando as tropas russas bombardearam as principais cidades da Ucrânia e o Ocidente impôs sanções paralisantes à economia da Rússia.

    A União Europeia está agora lutando para substituir o gás russo por outras fontes, mas por sua própria admissão não pode quebrar sua dependência energética antes de 2027.

    Putin deu ao banco central da Rússia e à Gazprom, a empresa estatal de gás, até quinta-feira (31) para apresentar propostas para aceitar pagamentos em rublos. Ivan Abramov, um parlamentar russo sênior, disse na segunda-feira (28) que Moscou interromperá os embarques de gás a menos que receba o pagamento em rublos, segundo a Reuters.

    As principais empresas de energia provavelmente considerarão qualquer exigência de alteração das condições de pagamento como uma quebra de contrato. Eles serão apoiados por governos ocidentais que querem aumentar a pressão econômica sobre Putin.

    “Não está claro como os países ocidentais poderão acessar rublos suficientes para financiar as importações de gás, ou mesmo se estariam dispostos a pagar em rublos”, disse Liam Peach, economista emergente da Capital Economics para a Europa.

    “As medidas tomadas pela Rússia também podem ser interpretadas como provocativas e podem aumentar a possibilidade de nações ocidentais apertarem as sanções à energia russa”, acrescentou.

    O plano de Putin

    Por que Putin quer que as empresas de energia paguem pelo gás russo em rublos? A resposta pode estar ligada à própria moeda, que caiu para mínimas recordes em relação ao dólar americano depois que as sanções cortaram Moscou de reservas no exterior no valor de centenas de bilhões de dólares.

    Desde então, as autoridades russas têm procurado apoiar a moeda impedindo que investidores e empresas vendam o rublo. Ao mesmo tempo, eles estão tentando aumentar a demanda pela moeda.

    Exigir pagamentos de gás em rublos parece “ser um esforço das autoridades russas para pressionar os países ocidentais, forçando os compradores estrangeiros de gás russo a usarem rublos, com o benefício adicional de apoiar o valor da moeda”, disse Peach.

    A União Europeia está planejando reduzir o consumo de gás natural russo este ano, enquanto se prepara para uma ruptura completa com seu maior fornecedor de energia. Mas a Europa lutaria para sobreviver por muito tempo sem o gás russo, e encontrar fontes alternativas representa um enorme desafio logístico. Uma recessão seria praticamente garantida se Putin cortasse os suprimentos.

    Ainda assim, o Ocidente detesta fazer qualquer coisa para avançar o esforço de guerra de Putin. Com o banco central russo sancionado proibido de trocar euros e dólares por rublos, Moscou está tentando encontrar um novo fluxo de dinheiro que possa gastar facilmente.

    Putin poderia “financiar diretamente a guerra, o exército, o abastecimento dos soldados, o abastecimento de gasolina para os tanques e a construção de armas em seu próprio país” com rublos, disse Habeck na segunda-feira.

    “O que ele não pode fazer é trocar moeda estrangeira com outros países”, acrescentou.

    Movimento arriscado

    Exigir pagamentos de gás em rublos pode ajudar a impulsionar a moeda. Mas isso não significa que será bom para a Rússia a longo prazo. A medida pode acelerar o fim de seu enorme setor de energia.

    “Os acordos de fornecimento de gás são geralmente considerados sacrossantos e, em um cenário extremo, insistir em pagamentos em rublos pode dar aos compradores motivos para reabrir outros aspectos de seus contratos — como a duração — e simplesmente acelerar completamente sua saída do gás russo”, disse Vinicius Romano, analista sênior de energia na Rystad.

    Outro problema: as vendas de gás russo para a Europa chegam a US$ 40 bilhões por ano, e ser pago em rublos significa que o país ficará sem uma importante fonte de moeda estrangeira em um momento em que suas exportações estão despencando.

    Isso significa que a Rússia pode não ter dinheiro estrangeiro suficiente para pagar as importações, forçando o país a se voltar para dentro e se isolar ainda mais da economia global.

    “A implicação de longo prazo é que isso acelera a estratégia de desdolarização da Rússia e reforça a ideia de que a Rússia continuará a derivar para a autarquia”, disse Peach.

    — Nathan Hodge e Inke Kappeler contribuíram com reportagem

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN