Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba a diferença entre as ações de valor e os papéis de crescimento

    Especialista diz que decisão sobre quando investir em cada tipo de ativo está bastante associada ao ambiente macroeconômico

    Ações de valor costumam ter retornos menores
    Ações de valor costumam ter retornos menores Foto: Carlos Muza / Unsplash

    Artur Nicocelido CNN Brasil Business

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    No mercado de investimentos, as ações podem ser classificadas como ordinárias e preferenciais ou pelos setores que as companhias atuam. Mas há dois termos que também ajudam os investidores na hora de montar suas carteiras: ações de crescimento e ações de valor.

    As ações de crescimento, como o nome sugere, apresentam alto potencial de avanço. Ou seja, são papéis de empresas que tiveram aumento em receitas de vendas e no lucro.

    Devido ao alto crescimento passado, os investidores esperam que essas companhias “continuem a crescer no futuro” e isso faz com que tais ativos negociem à múltiplos mais altos, explica Igor Cavaca, head de gestão de investimentos na Warren Asset.

    Exemplos dessas empresas de crescimento são as de tecnologia, “que começam pequenas, como startups, e trilham a rota de crescimento”, afirma Eduardo Cavalheiro, gestor da Rio Verde Investimentos.

    Já as ações de valor são ativos negociados abaixo do considerado justo pelo mercado. O preço merecido costuma ser determinado a partir de uma análise de dados, como caixa da empresa, Ebitda e índice de preço e lucro, por exemplo.

    Quem investe em empresas com ações de valor, diz Marcelo Oliveira, CFA e fundador da Quantzed, pode esperar ganhos previsíveis, lentos e constantes ao longo dos anos. Mas ele destaca que os retornos costumam ser menores que os papéis de crescimento.

    Como se posicionar

    Cavaca diz que a decisão sobre quando investir em cada tipo de ativo está bastante associada ao ambiente macroeconômico. Em momentos de alto crescimento da economia, os ativos de valor tendem a performar melhor.

    Em contrapartida, os ativos de crescimento se beneficiam em momentos recessivos, associados a cenários de juros baixos.

    “Agora, nessa queda recente do mercado, existem empresas de crescimento com queda de 80%, e as de valor caem menos, pois o lucro e a geração de caixa são mais palpáveis”, comenta o gestor da Rio Verde Investimentos.

    O fundador da Quantzed diz ser importante ter os dois tipos de ações na carteira. Mas aponta que é necessário que o investidor selecione bem as empresas de crescimento que vão compor o portfólio, pois, elas oferecem mais risco na comparação com as de valor —que seguram volatilidade devido à previsibilidade.

    Mais Recentes da CNN