Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    S&P corta nota de crédito externo da Rússia para “default seletivo”

    País tentou pagar em rublos dois títulos denominados em dólares que venceram em 4 de abril

    Anna Coobando CNN Business

    Ouvir notícia

    A Rússia teve sua nota de crédito externo reduzida para “default seletivo” pela agência de classificação de risco S&P (Standard & Poor’s), após oferecer aos detentores de títulos pagamentos em rublos, não em dólares.

    A Rússia tentou pagar em rublos dois títulos denominados em dólares que venceram em 4 de abril, informou a S&P em nota na sexta-feira (8). A agência disse que isso equivale a um “default seletivo”, porque é improvável que os investidores consigam converter os rublos em “dólares equivalentes aos valores originalmente devidos”.

    Moscou tem um período de carência de 30 dias a partir de 4 de abril para fazer os pagamentos de capital e juros, mas a S&P disse que não espera convertê-los em dólares devido às sanções ocidentais que minam sua “vontade e capacidade técnica de honrar os termos e condições de suas obrigações”.

    A Rússia não pode acessar cerca de US$ 315 bilhões de suas reservas em moeda estrangeira como resultado das sanções ocidentais impostas após a invasão da Ucrânia.

    Até a semana passada, os Estados Unidos permitiam que a Rússia usasse alguns de seus ativos congelados para pagar certos investidores em dólares. Mas o Tesouro americano, desde então, bloqueou o país de acessar suas reservas em bancos do país.

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse em uma entrevista coletiva na semana passada que qualquer default seria “artificial” porque a Rússia tem dólares para pagar — simplesmente não pode acessá-los.

    “Não há motivos para um default real”, disse Peskov.

    David Goldman contribuiu com esta reportagem.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN