Startup de carros seminovos chega ao Brasil e oferece dois anos de garantia

Fundada em 2016, a companhia foi avaliada a US$ 4 bilhões em abril deste ano e quer conquistar brasileiros

Tamires Vitorio, do CNN Brasil Business, em São Paulo

Ouvir notícia

 O unicórnio mexicano — startup avaliada em mais de US$ 1 bilhão — de compra e venda de carros seminovos chega ao Brasil nesta terça-feira (27) com a premissa de “ligar os motores” no país. Fundada em 2016, a companhia foi avaliada a US$ 4 bilhões em abril deste ano, após um investimento de US$ 485 milhões. Para a operação brasileira, serão investidos, inicialmente, R$ 2,5 bilhões. 

A empresa tem um diferencial: se o cliente não gostar do carro, após sete dias de compra, ele pode devolver o veículo e conseguir 100% do dinheiro de volta ou optar pela troca por outro automóvel. Por mais que toda a transação seja feita online, o comprador pode agendar uma visita física para dar uma conferida no carro. Todos os veículos comercializados na Kavak possuem dois anos de garantia. 

“Somos uma plataforma 360 para ajudar as pessoas a comprar, a vender e a gerir seus carros. Mas não ficamos só ali. Tudo isso fica na palma da mão do consumidor”, afirma Roger Laughlin, cofundador e CEO da empresa. Isso porque, depois da compra, o novo dono do veículo pode baixar um aplicativo para ter acesso aos benefícios dos veículos adquiridos na plataforma. 

Para Laughlin, o Brasil “tem o maior potencial de crescimento para o mercado de compra e venda de seminovos”. “O Brasil é muito importante para a gente. Chegamos em outubro do ano passado para construirmos as bases iniciais dos nossos negócios”, conta. “Queremos construir no Brasil um negócio intensivo em capital, infraestrutura e pessoas.”

Os planos da Kavak, segundo Laughlin, é adquirir mais de 100 mil carros e vender mais de 50 mil. 

O investimento no Brasil não é arbitrário. De 2018 para 2019 a venda de veículos seminovos pela internet saltou de R$ 2,4 bilhões para R$ 5,2 bilhões segundo a Auto Avaliar, plataforma que comercializa veículos seminovos entre concessionárias e lojistas no Brasil.

Kavak
Foto: Kavak/Reprodução

Em 2020, com a pandemia do novo coronavírus, o mercado dos usados e dos seminovos continuou crescendo. Segundo a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), 12 milhões de carros usados foram vendidos no ano — um número 12,1% menor do que o registrado em 2019, mas, para a Fenauto, ainda assim, positivo, visto que muitas pessoas ficaram em casa por conta do distanciamento social. Já em dezembro de 2020, a venda de usados subiu 23,6% em relação ao mesmo período de 2019, sem pandemia. 

Para Laughlin, a Kavak vem para sanar o problema e a insegurança em comprar carros seminovos — que, segundo ele, “tem fraudes, custos ocultos, problemas mecânicos, problemas legais e falta de proteção de dados”.

Kavak
Kavak: unicórnio mexicano chega ao Brasil
Foto: Kavak/Reprodução

“O tempo que as pessoas gastam na experiência de comprar e vender é muito extenso e ineficiente. E muitas vezes é uma experiência de compra muito inconsistente. Mas não porque não existem lojistas e concessionárias que façam as coisas bem, mas é difícil construir uma empresa que consiga lidar com a demanda brasileira”, afirma. “Nosso propósito é transformar completamente a experiência de ter um carro.”

Laughlin também afirma que a Kavak não veio para concorrer com as concessionárias, mas sim que “é um negócio de gestão de frota, de logística, de peças, de estacionamentos”. “Somos um negócio que vai precisar de espaço para crescer e precisamos estreitar nossos laços para isso”, diz. 

A confiança dos consumidores, para Laughlin, também será algo a ser conquistado aos poucos. “Trabalhamos assim por cinco anos no México e faremos o mesmo por aqui”, afirma. 

“Estamos atraídos pelo Brasil por vários fatores. O país é um super mercado, é gigante, incrível e o maior da América Latina. Para qualquer empreendedor que tem uma ambição global, é preciso estar no Brasil”, conta. 

O preço e a oferta

Alguns carros da Kavak, como confirmou o CNN Brasil Business, estão abaixo da tabela da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Um dos exemplos é o Nissan March SV 2020 que, na startup, custa R$ 55.499,00 — valor 5,11% abaixo da Fipe. 

O Fiat Argo Firefly Drive (2020) também sai 3,6% mais barato na Kavak do que o previsto pela tabela, a R$ 56.499 versus R$ 58.610 na Fipe.  

Outros veículos, no entanto, saem um pouco mais caros do que é previsto pela Fipe. Como o Creta PULSE PLUS, cujo valor na tabela é de R$ 94.897,00 e na Kavak sai por R$ 100.999,00. 

Nissan March
Nissan March sai mais barato na Kavak
Foto: Divulgação

Carros mais antigos e populares, como o Honda Fit EX 2016 automático, também saem um pouco mais caros. Na Fipe, o valor previsto para ele é de R$ 65.047,00, enquanto pela startup ele sai por R$ 67.499. 

Kavak vs Creditas

A expectativa era de que a Kavak fosse comprar a startup Volanty, que atua no mesmo setor, para conseguir entrar com mais força no mercado brasileiro. Não foi o que aconteceu. Quem levou a startup foi a Creditas. 

Em comunicado, a Creditas afirmou que “seguimos construindo um ecossistema para casas, mobilidade e salários, que agora incluem três verticais de monetização (fintech, insurtech e soluções para o consumidor)”.

Laughlin entende que isso aconteceu porque “o setor financeiro está mais consolidado no país”. “Mas, com a concorrência, lidamos bem com isso. Entendemos que, dessa forma, os brasileiros ganham mais oportunidades de fazerem compras com segurança”, conta. 

“Iremos conquistar o Brasil cliente por cliente”

Kavak
Foto: Kavak/Reprodução

Por que chegar ao Brasil agora? O que fez o país se tornar interessante?

Sem dúvida, antes do mercado ser acelerado, ele já era gigante — o terceiro maior do mundo. Essa aceleração simplesmente faz com que o momento seja maior e com que a nossa responsabilidade seja maior também para produzir mais rápido, porque, justamente por essa nossa aceleração, podemos chegar a mais consumidores e expandir a nossa proposta de valor. 

Como conquistar o cliente brasileiro?

Iremos conquistar os brasileiros cliente por cliente — eliminamos muitas das dores que os consumidores têm ao comprar e vender os carros. No final do dia, é um tema de execução. Não tem segredo.

É executar diariamente esse serviço para nosso consumidor — e, hoje em dia, ele é vocal, ele consegue impactar muitos outros consumidores.

Cada cliente que impactarmos de forma positiva vai ser o primeiro e o maior passo para construir a confiança e a marca para chegar a mais brasileiros. 

Como funciona a garantia de vocês?

Você precisa fazer o serviço e a manutenção conosco para manter a garantia, um é mais completo do que o outro, depende do que o consumidor quer e do valor de cada carro. E devemos fazer de três a quatro serviços por ano para que a garantia seja respeitada. Mas nossos preços são bastante competitivos. 

Vocês também prometem trocar o carro caso o cliente não goste do que comprou em sete dias, com a opção da devolução do dinheiro ou da escolha de outro veículo. Como isso funciona? 

Como a falta de semicondutores para carros novos ajudou a venda de seminovos?

Isso tem sido mais um acelerador para cada negócio envolvido com carros usados, a demanda é maior. Mas, ao mesmo tempo, temos o problema da oferta: tem menos carros indo para o mercado e isso impacta a cadeia toda.

A demanda é maior, mas a oferta não necessariamente acompanha a demanda. Por isso que temos o propósito de comprar mais de cem mil carros até 2022 para termos um inventário para o consumidor. 

E como é feita a venda no site de vocês?

O cliente entra em nossa plataforma, e o processo é totalmente gratuito. Ele é feito a domicílio ou em um dos locais físicos da Kavak na Grande São Paulo — por enquanto. 

E por que São Paulo?

Porque aqui é o maior mercado do Brasil. Mais ou menos 30% do mercado de carros fica aqui, então, para a gente, é natural começar pelo local onde vamos conseguir trazer mais impacto mais rápido e estabelecer nossas bases para expandir para o Brasil todo. 

 

Mais Recentes da CNN