Startup de pagamentos Conductor levanta US$150 mi e mira IPO nos EUA

Os recursos serão usados para expandir o alcance da Conductor na América Latina, tanto por meio de seu próprio crescimento quanto por aquisições

Foto: Reprodução/CNN

Da Reuters

Ouvir notícia

A empresa brasileira de pagamentos e software Conductor levantou US$ 150 milhões em uma rodada de captação privada para expandir seus negócios na América Latina, antes de uma possível listagem no mercado de ações dos Estados Unidos, disse o presidente-executivo, Antonio Soares.

Essa captação de recursos reforça a expectativa de que as empresas de tecnologia financeira possam crescer à medida que mais indivíduos na região tenham acesso ao sistema bancário.

Leia também:
GPA x Carrefour: na maior disputa do varejo, quem teve o melhor 3º trimestre?
BC autoriza bancos a cobrar taxa de quem receber mais de 30 Pix por mês

Com a Riverwood Capital e a processadora de pagamentos Visa entre seus acionistas, a Conductor fornece serviços de pagamentos e software para instituições financeiras, varejistas e fintechs, por exemplo. Ela possui 30 milhões de usuários ativos e processa 1,5 bilhão de transações por ano, de acordo com o site da companhia.

“A indústria de pagamentos eletrônicos na América Latina está cerca de cinco a 10 anos atrasada em relação ao Brasil, e a regulamentação na região está buscando mais competição”, disse Soares.

A rodada de financiamento é liderada pela Viking Global Investors e também inclui a Sunley House Capital, uma afiliada da gestora de private equity Advent International.

Os recursos serão usados para expandir o alcance da Conductor na América Latina, tanto por meio de seu próprio crescimento quanto por meio de aquisições de empresas. A Conductor iniciou sua expansão internacional neste ano e agora tem negócios no México, Peru, Colômbia, Argentina e Equador.

Uma parcela grande da população da América Latina não tem conta em banco, o que cria oportunidades para empresas financeiras não tradicionais, disse Soares. Cerca de um terço dos brasileiros não tem conta em banco, um dos índices mais altos do mundo.

Soares se recusou a divulgar a avaliação da Conductor após a rodada, mas disse que Riverwood continua sendo o acionista controlador. Soares disse que esta deve provavelmente ser a última captação privada da empresa antes de realizar uma oferta pública inicial (IPO) nos Estados Unidos.

Caso a Conductor se liste em uma bolsa dos Estados Unidos, seguirá os passos de outras empresas de pagamentos brasileiras, incluindo StoneCo e PagSeguro. Ambas tiveram um bom desempenho desde a listagem em 2018, ganhando 131% e 74%, respectivamente. O Goldman Sachs assessorou o Conductor na captação de recursos.

Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook

Mais Recentes da CNN