Venda de carros elétricos bate recorde de vendas pelo terceiro mês consecutivo no Brasil

De acordo com a Associação Brasileira de Veículos Elétricos, o aumento no mês de fevereiro de 2022 foi de 147% em comparação com o mesmo período do ano passado

Vendas de elétricos equivale a 2,8% das vendas domésticas totais de automóveis e comerciais leves no Brasil
Vendas de elétricos equivale a 2,8% das vendas domésticas totais de automóveis e comerciais leves no Brasil Pixabay

Nathalia Teixeira*da CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A venda de veículos elétricos e híbridos aumentou 147% no mês de fevereiro deste ano em comparação com o mesmo período de 2021. De acordo com a Associação Brasileira de Veículos Elétricos, ao todo foram 3.435 emplacamentos e o melhor mês de fevereiro da série histórica da instituição.

O número de vendas equivale a 2,8% das vendas domésticas totais de automóveis e comerciais leves no Brasil, que foram de 120.192, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Essa evolução indica que os eletrificados conquistam gradativamente mais participação no mercado doméstico total.

O presidente da Associação de Carros Elétricos (ABVE), Adalberto Maluf, explica que o aumento dos combustíveis é um dos fatores que geram uma maior procura pelos veículos elétricos e híbridos no Brasil.

“A associação espera um crescimento do setor de veículos elétricos e híbridos no brasil, assim como vem ocorrendo no resto do mundo. Ano passado, os mercados globais mais do que dobraram na venda de veículos elétricos com o aumento dos combustíveis fosseis, com as dificuldades das cadeias produtivas que forçam as montadoras a produzirem veículos mais caros com mais tecnologias. Nós já esperávamos esse crescimento do setor, fevereiro foi o melhor crescimento, melhor da série história, assim como janeiro e como dezembro já tinha sido”, afirma.

Apesar de ser o terceiro mês consecutivo de recorde nas vendas desses veículos, o presidente ressalta que os incentivos à eletromobilidade são fundamentais para esse crescimento.

“A gente acha que o Brasil tem um espaço muito grande para crescer ainda, chegando a 50 mil veículos vendidos no mercado brasileiro. Mas isso depende da continuação de algumas políticas públicas. Infelizmente o Brasil não tem um plano nacional do eletro mobilidade e não existem muitos incentivos em prol da industrialização dos veículos híbridos e elétricos, então o setor vai chegar quase que no limite no ponto de vista de crescimento caso não criem políticas públicas junto com as políticas indústrias”, aponta.

A frota de eletrificados leves no Brasil já é superior a 82 mil veículos, devendo ultrapassar a marca dos 100 mil no início do segundo semestre.

*sob supervisão de Helena Vieira

Mais Recentes da CNN