Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Arábia Saudita pode ser “porta de entrada” para Brasil fortalecer comércio com o Oriente Médio, diz secretária do Mdic à CNN

    Tatiana Prazeres, do Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, ainda destaca que plataformas internacionais como os fóruns dos Brics e do G20 fortalecem as relações dos países

    Tatiana Prazeres, secretária de comércio exterior do Mdic
    Tatiana Prazeres, secretária de comércio exterior do Mdic Créditos: Gabriel Lemes

    Danilo Moliternoda CNN

    São Paulo

    A secretária de Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic), Tatiana Prazeres, afirmou em entrevista à CNN que o estreitamento de relações com a Arábia Saudita pode servir como “porta de entrada” para o Brasil intensificar as trocas com o Oriente Médio.

    “Muitas vezes o fortalecimento dessa relação, com um país que já é o nosso principal parceiro na região, é uma porta de entrada para outros países”, disse.

    Uma comitiva da Arábia Saudita visitou o Brasil em julho e prometeu intensificar investimentos. Espera-se que com este estreitamento, o comércio entre os dois países também possa se intensificar.

    Como indica a secretária, em termos comerciais, as trocas entre os países já estão em patamar relevante. Em 2022, a corrente foi de US$ 8,2 bilhões. O Brasil exportou US$ 2,9 bilhões para a Arábia Saudita e importou US$ 5,3 bilhões, segundo dados do Mdic.

    Carnes, açúcar e cereais respondem por 68% das exportações, em valores, sendo a carne o principal produto (35%). Combustíveis minerais, fertilizantes e plásticos são 95% das importações, em valores, sendo que os combustíveis representam 75%.

    “É um fluxo de comércio que é relevante. Há uma redução do nosso déficit comercial no último ano, o que é resultado deste aumento das exportações e especialmente de uma queda das importações decorrente de preço de commodities”, analisa a secretária.

    Plataformas internacionais fortalecem laço

    Tatiana Prazeres destaca que plataformas internacionais como os fóruns dos Brics e do G20 fortalecem as relações dos países. Ela relembra que o Brasil presidirá o G20 a partir de dezembro, o que torna maior a janela de oportunidade para estreitar o relacionamento bilateral.

    A Arábia Saudita também faz parte do G20 e foi convidada para ingressar no bloco.

    “O Brasil preside o G20 em 2024 e no ano seguinte preside o Brics. São dois anos em que estes dois foros são especialmente importantes para o Brasil. Naturalmente haverá oportunidade de estreitamento das relações do Brasil com os países deste grupo”, disse.

    A secretária relata que teve, no último fórum do G20, na Índia, reuniões com representantes do comércio da Arábia Saudita. “Essas plataformas oferecem oportunidades únicas para o diálogo”, completa.

    Veja também – Brasil e Arábia Saudita debatem parcerias na aviação