Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Bancos Centrais da Europa dobram aposta em mensagens duras de política monetária

    Agora, processo de flexibilização dos juros deve acontecer depois do que estava sendo previsto

    juros, juro, cálculo, impostos, taxas, fiscal, tributário, contas
    juros, juro, cálculo, impostos, taxas, fiscal, tributário, contas GettyImages

    Da Reuters

    Alguns Bancos Centrais da Europa dobraram a aposta em mensagens duras de política monetária nas últimas duas semanas, em uma tentativa de persuadir grandes investidores a abandonar as apostas de que começará em breve um ciclo de flexibilização dos juros.

    Como os Bancos Centrais europeus foram mais rápidos que seus principais pares para aumentar as taxas de juros, também se esperava que liderassem o processo de flexibilização. Embora isso ainda possa ser verdade, agora parece que acontecerá depois do que havia sido previsto inicialmente.

    “A alta pressão salarial manterá o núcleo da inflação elevado e pode levar a um atraso na flexibilização monetária em comparação com as expectativas atuais”, disse o Erste Bank em uma nota na quinta-feira (6).

    O Banco Central da República Tcheca, apesar de ter se recusado a aumentar as taxas de juros desde o último mês de junho, mesmo com cobranças para fazê-lo vindas de seu próprio departamento monetário e de analistas externos, tem apresentado mensagens mais rigorosas.

    Seu correspondente húngaro, que alguns pensaram que começaria a flexibilização em março, prometeu manter as taxas sem mudanças por um período prolongado, para suprimir expectativas de inflação. O crescimento dos preços na Hungria pode ter caído em fevereiro, mas continua em em 25,4%.

    O Banco Central da Polônia manteve as taxas estáveis nesta semana, e o presidente do órgão, Adam Glapinski, disse que ainda estava pronto para aumentá-las se necessário, embora as taxas não precisem subir mais se o desenvolvimento econômico seguir a perspectiva atual.