Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    BNDES lança linha de crédito exclusiva para agroexportadores no Brasil

    Financiamento terá R$ 2 bilhões a juros de 7,59% ao ano, bem abaixo da atual Selic

    O crédito terá carência de até 24 meses e 120 meses para quitação. O risco da operação é do banco
    O crédito terá carência de até 24 meses e 120 meses para quitação. O risco da operação é do banco 08/01/2019REUTERS/Sergio Moraes

    Samantha Kleinda CNN

    em Brasília

    O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) lançou, nesta segunda-feira (17), nova linha de crédito rural lastreada no dólar. O crédito aberto pela instituição é de R$ 2 bilhões, com juros de 7,59% ao ano, bem abaixo dos atuais 13,75% da Selic, taxa básica de juros da economia brasileira.

    O crédito é destinado à compra de máquinas e implementos agrícolas de produção nacional.

    Os financiamentos serão focados nos produtores rurais de commodities, como soja, milho e algodão, justamente por terem receita na moeda norte-americana. Segundo Mercadante, os créditos serão concedidos a quem comprove não estar produzindo em áreas de desmatamento.

    O lançamento da medida coincide com a recente manifestação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de que o comércio internacional não deveria ser feito exclusivamente em dólar.

    Conforme o presidente do banco, Aloizio Mercadante, o momento é oportuno para o lançamento da linha. Mercadante classificou a medida como uma inovação muito criativa diante de um cenário de crise de confiança.

    “Se o real desvalorizar, ele ganha na exportação e perde na dívida. Mas se o real se apreciar, ele perde no valor da exportação, mas ganha na questão da dívida. O agricultor vai estar protegido. O impacto do câmbio para ele é zero, somente terá de pagar a taxa de juros”, disse.

    O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, acrescentou que a atual Selic é “quase proibitivo fazer financiamento”, portanto, a aposta do BNDES trará alívio aos exportadores.

    “Nesse sentido, o presidente Lula foi contundente ao discordar da Selic, mas não é momento de ficar se lamentando e abriu aval buscarmos alternativas e competitividade”, afirmou.

    A liberação dos financiamentos deve iniciar no começo de maio, coincidindo com a Agrishow, uma das maiores feiras do agronegócio do país, realizada em Ribeirão Preto. Qualquer banco que tenha convênio com o BNDES poderá operar a linha – atualmente, são 77 instituições financeiras com acordos vigentes.

    O crédito terá carência de até 24 meses e 120 meses para quitação. O risco da operação é do banco.

    Os recursos da linha de financiamentos são provenientes das captações em dólar do próprio BNDES.

    Microempresas

    O BNDES também lançou uma linha de crédito voltada para micro, pequenas e médias empresas no valor de R$ 21 bilhões através do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI PEAC), em sua modalidade de garantias.

    O objetivo é possibilitar a ampliação do acesso ao crédito para microempresários individuais (MEIs), micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), por meio da concessão de garantias em financiamentos a esse público.

    As 46 instituições credenciadas já foram avisadas da linha e em menos de uma semana, já foram liberados créditos na ordem de R$ 1,5 bilhão.

    Os recursos são provenientes de um fundo gerenciado pelo BNDES, que tem cerca de R$ 60 bilhões emprestados.

    A expectativa é que outra linhas sejam lançadas com foco na indústria e comércio.