Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Farmacêuticas buscam elevar suprimentos de Ozempic à medida que demanda cresce na China

    Frenesi do remédio está se espalhando pela China, onde ser “magro” é um padrão de beleza predominante, levando à escassez no país

    Especialistas dizem que a droga pode ter sérios efeitos colaterais
    Especialistas dizem que a droga pode ter sérios efeitos colaterais imyskin/Getty Images

    Laura Heda CNN

    em Hong Kong

    O Ozempic, originalmente um medicamento para o tratamento de diabetes, está em alta demanda em todo o mundo, com celebridades e usuários de mídia social divulgando-o como uma droga milagrosa para perda de peso, apesar de algumas preocupações de especialistas médicos.

    Agora, o frenesi está se espalhando pela China, onde ser “magro” é um padrão de beleza predominante, levando à escassez do medicamento no país.

    Aplicativos de mídia social chineses, como Douyin e Xiaohongshu, foram inundados por postagens de usuários se gabando de como eles perderam facilmente 10 quilos ou mais em um mês com apenas algumas injeções de semaglutida, popularmente conhecida como Ozempic.

    “Esta é uma droga maravilhosa”, de acordo com uma popular série de postagens no Xiaohongshu, um aplicativo social chinês semelhante ao Instagram. “Sem dieta, sem exercício, você pode reduzir o peso mesmo quando está deitado.”

    Ozempic foi oficialmente aprovado na China em abril de 2021 para tratamento de diabetes tipo 2. Mas os usuários podem obtê-lo de médicos para outros usos ou comprá-lo em plataformas de comércio eletrônico, como Taobao e JD.com, com prescrições de outras pessoas.

    Especialistas dizem que a droga pode ter sérios efeitos colaterais. Estudos e relatórios de pacientes mostram que muitos pacientes veem seu peso se recuperar logo após interromper as injeções.

    Mas sua crescente popularidade na China significa que muitos hospitais e farmácias ficaram sem Ozempic desde o final do ano passado, segundo o jornal estatal People’s Daily Health.

    Isso tem causado problemas para pacientes com diabetes que dependem da medicação.

    Um médico do Primeiro Hospital Afiliado da Universidade Sun Yat-sen, na megacidade de Guangzhou, disse à mídia oficial no mês passado que o hospital ficou sem Ozempic por um breve período devido à crescente demanda de pacientes que buscam perder peso.

    Desde então, o hospital parou de prescrevê-lo a pessoas que não têm diabetes.

    Preços crescentes

    O hype da mídia social foi tão grande que Xiaohongshu excluiu mais de 5 mil postagens compartilhando experiências de perda de peso com Ozempic.

    A plataforma de mídia social acusou muitas postagens de “exagerar” a eficácia da droga como auxiliar na perda de peso e alertou seus usuários a não “acreditar cegamente” em tal conteúdo.

    A plataforma também iniciou um alerta pop-up lembrando os usuários que pesquisam o medicamento on-line para “ir a instalações médicas formais para tratamento”.

    Mas não foi o suficiente para acalmar o frenesi. As pessoas na China, principalmente as mulheres, há muito enfrentam pressão para se adequar aos padrões de beleza que enfatizam uma figura extremamente esbelta.

    Com o aumento da demanda, os preços dispararam online. O custo oficial de uma dose de 1,5 mg de Ozempic é de 478 yuans (US$ 67) em hospitais públicos, segundo a Lista Nacional de Reembolso de Medicamentos da China.

    Mas os preços do mesmo medicamento atualmente variam de 36% a 151% mais altos no site de compras online Taobao.

    De acordo com seu fabricante, a empresa farmacêutica dinamarquesa Novo Nordisk, a Ozempic registrou vendas de 303 milhões de coroas dinamarquesas (US$ 44 milhões) na China nos nove meses após seu lançamento em abril de 2021.

    No ano seguinte, as vendas no país dispararam mais de sete vezes, atingindo 2,2 bilhões de coroas dinamarquesas (US$ 316 milhões).

    Preencha a escassez

    Espera-se que o mercado de medicamentos para perda de peso na China cresça nos próximos anos.

    Um relatório do governo do final de 2020 disse que mais de 50% dos adultos na China estavam acima do peso, o que é definido como tendo um índice de massa corporal (IMC) superior a 24.

    As vendas totais de medicamentos GLP-1, uma classe de medicamentos para diabetes que inclui semaglutida, podem atingir um pico de 40 bilhões de yuans (US$ 5,6 bilhões) na China, de acordo com uma estimativa da Tebon Securities.

    Isso representaria um aumento de mais de 600% em relação ao tamanho atual do mercado.

    Tanto as farmacêuticas ocidentais como as chinesas querem uma fatia do crescente mercado.

    A Novo Nordisk solicitou ao regulador de medicamentos da China para ampliar o escopo de uso da semaglutida, segundo a Administração Nacional de Produtos Médicos. Seu site mostrou que o regulador recebeu o pedido no sábado.

    A mídia estatal especulou que o pedido seria para perda de peso. A farmacêutica não respondeu a um pedido de comentário da CNN.

    Várias empresas chinesas aceleraram o desenvolvimento de versões genéricas da semaglutida.

    As patentes da Novo Nordisk para a semaglutida na China devem expirar em 2026, que é o primeiro período em que os genéricos podem estar disponíveis para venda.

    Mas isso está sendo contestado.

    Em junho de 2021, a Huadong Medicine, uma empresa farmacêutica com sede em Hangzhou, solicitou ao Escritório de Propriedade Intelectual do Estado da China a invalidação da patente. Em setembro de 2022, o escritório determinou que todas as chamadas patentes principais do Ozempic eram inválidas na China.

    A Novo Nordisk recorreu da decisão. Uma batalha legal está em andamento no Tribunal de Propriedade Intelectual de Pequim. Se a decisão for mantida pelo tribunal, uma série de versões genéricas de semaglutida de fabricantes nacionais pode entrar no mercado.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original