Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Fenabrave melhora expectativa de aumento de vendas de veículos neste ano de 0% para 5,6%

    Aumento significará vendas de 2,22 milhões de unidades, na soma de carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus

    Veiculos
    Veiculos 23/03/2023REUTERS/Maxim Shemetov

    Eduardo Laguna, do Estadão Conteúdo

    A Fenabrave, associação que representa as concessionárias de veículos, melhorou nesta terça-feira (3) a expectativa de vendas neste ano, após resultados que surpreenderam os prognósticos iniciais de estagnação do mercado.

    A previsão agora é de crescimento de 5,6%, o que, se confirmado, significará vendas de 2,22 milhões de unidades, na soma de carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.

    A projeção anterior, feita em janeiro, apontava para estagnação do mercado – crescimento zero – em 2,1 milhões de veículos.

    A revisão foi apresentada junto com o balanço do setor de setembro, que mostrou aumento de 8,5% das vendas de veículos desde o início do ano, com 1,63 milhão de veículos vendidos nos nove primeiros meses.

    O presidente da Fenabrave, José Maurício Andreta Júnior, atribuiu o otimismo às medidas tomadas, em especial os descontos que o governo patrocinou nas vendas de carros, além do aquecimento sazonal do mercado no segundo semestre, sobretudo nos últimos três meses do ano.

    Para as vendas de motos, a previsão de crescimento neste ano passou de 9% para 20%, chegando a um total de 1,64 milhão de motocicletas.

    Andreta Júnior ressaltou que 2023 pode terminar ainda melhor do que as projeções da Fenabrave, caso o governo inclua estímulos ao mercado dentro da nova fase do regime automotivo, chamada de Mobilidade Verde, que está para ser lançada nos próximos dias.

    A Fenabrave, conforme relatou seu presidente, levou ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC) uma proposta que visa aumento de escala a partir de redução nos preços dos automóveis.

    Sem abrir detalhes do plano, o executivo disse apenas que o impacto de reduções de alíquotas ao cofre do Tesouro pode ser compensado pelo aumento das vendas, que leva à maior arrecadação.

    Citando a pequena melhora do crédito e a perspectiva de impactos positivos da reforma tributária no setor, o presidente da Fenabrave também demonstrou confiança no desempenho do mercado automotivo em 2024. “Podemos iniciar o ano que vem em um ciclo virtuoso de crescimento”, declarou.

    Emplacamentos em setembro

    Por outro lado, os emplacamentos de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus em setembro caíram 4,8% na comparação com agosto, apresentando leve alta de cerca de 2% na relação anual, para 197,7 mil unidades, informou a Fenabrave.

    Segundo a entidade, a queda nas vendas ocorreu por “número menor de dias úteis”, três, ante agosto, com o mercado mostrando recuperação nos licenciamentos por dia útil.

    “Os resultados foram superiores à média mensal do ano, especialmente, sobre os emplacamentos do 1º semestre”, afirmou o presidente da Fenabrave.

    Segundo os dados da entidade, a média de emplacamentos diários de automóveis e comerciais leves foi de 9.372 unidades em setembro ante 8.560 em agosto, um aumento de quase 9,5%.

    Andreta Jr. afirmou que “boa parte” do crescimento ocorreu diante de vendas “corporativas”, realizadas a empresas frotistas como locadoras de veículos, enquanto o ritmo no varejo segue abaixo do esperado.

    O segmento de carros e comerciais leves eletrificados mostrou salto de 32,3% na comparação com setembro de 2022, com vendas de 8.458 unidades. No ano, o segmento mostra aumento de quase 68%.

    Já o segmento de caminhões segue mostrando fraqueza, com os licenciamentos recuando 23,8% sobre setembro de 2022 e caindo 5,8% sobre agosto, apesar do programa do governo federal de incentivo às vendas. No ano, o segmento acumula baixa de 17,5%, o único entre os acompanhados pela Fenabrave a permanecer no vermelho.

    “O crédito restrito e o ajuste de preços dos novos modelos afetou o desempenho do mercado (de caminhões). Ao menos, tivemos evolução nos emplacamentos diários na comparação com agosto”, disse Andreta Jr.

    Veja também: Carros já são vendidos com descontos de R$ 19 mil após pacote de benefícios do governo