Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Estreia de yuan digital na China reforça importância de criptomoedas como bitcoin

    Outros criptoativos são necessários para preservar uma forma independente e relativamente privada de dinheiro digital

    Esforços da China também estimularam outros países a ponderar suas próprias moedas digitais
    Esforços da China também estimularam outros países a ponderar suas próprias moedas digitais Pixabay

    Emily Parkerdo CNN Business*

    O yuan digital da China está prestes a estrear no cenário global nesta semana, com atletas estrangeiros e outros nas Olimpíadas de Pequim podendo usá-lo pela primeira vez.

    As pessoas podem acessar o yuan digital por meio de um aplicativo em seu smartphone, por exemplo, mas é diferente de outros aplicativos de pagamento por ser uma versão digital do renminbi, emitida pelo Banco Popular da China.

    A moeda digital já foi testada em várias cidades chinesas e foi usada em transações que totalizam mais de US$ 8 bilhões no segundo semestre de 2021.

    Os esforços da China também estimularam outros países a ponderar suas próprias moedas digitais. Quase 90 países, responsáveis ​​por mais de 90% do PIB global, estão explorando ativamente uma moeda digital do banco central (CBDC), de acordo com o Atlantic Council .

    Alguns argumentam que os CBDCs cancelarão a necessidade de criptomoedas como bitcoin. Afinal, quantas moedas digitais diferentes realmente precisamos? Mas, na verdade, o oposto é verdadeiro.

    A ascensão das CBDCs destaca a importância das criptomoedas descentralizadas que são relativamente privadas e não controladas por nenhum governo.

    Embora a moeda digital da China seja um empreendimento impressionante que pode oferecer muitos benefícios, como facilidade e eficiência de pagamentos, a privacidade não é um deles. De qualquer forma, o yuan digital dará ao governo maior visibilidade das transações financeiras de seus cidadãos.

    Talvez você não precise fornecer uma identidade para fazer pequenos pagamentos, disse Yaya Fanusie, membro sênior adjunto do Center for a New American Security, em entrevista. Mas “o governo poderá rastrear todas as transações, em geral, sejam anônimas ou não”.

    A China já possui um sistema de pagamentos móveis muito sofisticado, liderado pelo WeChat Pay e Alipay. As empresas já coletam muitos dados financeiros privados, mas o yuan digital tornará esses dados ainda mais acessíveis ao governo.

    Fanusie disse que o governo chinês já pode ir às empresas de pagamento e obter os dados, mas com o yuan digital, ele não precisará dar esse passo extra porque já terão acesso direto a eles. Com o yuan digital, disse ele, “eles mal precisam levantar um dedo. Os dados chegam até eles”.

    Os CBDCs não são apenas rastreáveis, eles também podem ser programáveis. Após um desastre natural, por exemplo, um governo poderia enviar dinheiro digital aos cidadãos que poderia ser gasto em alimentos e remédios, mas não em álcool.

    Isso significa que os governos terão maior capacidade de decidir quem tem acesso ao dinheiro digital. No caso da China, Fanusie disse, “será fácil para o banco central desligar todas as carteiras que quiser, por causa de questões políticas ou combate ao crime ou qualquer outra coisa”.

    É muito cedo para saber exatamente como as moedas digitais do banco central se comportarão na prática, mas as preocupações são tão grandes que o congressista Tom Emmer citou questões de privacidade na legislação que ele apresentou que proibiria o Federal Reserve dos EUA de emitir uma CBDC diretamente para indivíduos.

    As criptomoedas oferecem uma abordagem fundamentalmente diferente. Bitcoin, a principal criptomoeda do mundo, foi introduzida após a crise financeira de 2008 como uma forma de dinheiro que deveria ser independente do controle do governo ou do banco.

    As transações de Bitcoin são armazenadas em um livro descentralizado conhecido como blockchain.

    Uma das principais vantagens do bitcoin é que nenhum governo pode impedir cidadãos de enviá-lo ou recebê-lo, e nenhum governo pode desligar a rede.

    Bitcoin também é uma forma de dinheiro relativamente privada, no sentido de que tudo o que você precisa para enviar e receber a criptomoeda é um endereço que consiste em uma sequência de números e letras.

    Alguns são atraídos por criptomoedas simplesmente porque acreditam que mesmo transações perfeitamente legais devem desfrutar de proteções básicas de privacidade.

    Alguns puristas de cripto argumentarão que mesmo o bitcoin não é privado o suficiente, pois todas as transações de bitcoin são registradas em uma blockchain publicamente visível.

    Ainda assim, anexar um endereço bitcoin à identidade de uma pessoa real dá trabalho: governos ou agências de espionagem teriam que dedicar muito tempo, habilidade e esforço à tarefa de analisar dados de blockchain.

    CBDCs como o da China, por outro lado, são projetados para serem rastreáveis ​​pelo governo.

    Os desenvolvedores estão trabalhando atualmente para aumentar as proteções de privacidade do bitcoin. Mas existem outras moedas digitais, por exemplo, zcash e monero, que promovem a proteção da privacidade como um recurso fundamental.

    O Zcash, por exemplo, usa uma ferramenta criptográfica conhecida como prova de conhecimento zero, que é uma forma de verificar um conjunto de dados sem revelar esses dados.

    Novas criptomoedas estão aparecendo constantemente e provavelmente veremos ainda mais inovações quando se trata de privacidade.

    O yuan digital da China pode eventualmente se tornar a principal forma de pagamento do país. “Se eu abraçar o Renminbi digital ou não, não cabe a mim decidir”, disse Victor Gao, professor titular da Universidade Soochow da China, em entrevista.

    “Se eu ficar na China, se continuar sendo um cidadão global, acho que essa onda vai me atingir mais cedo ou mais tarde. Não posso lutar contra ela, não posso resistir a ela sem ser enterrado.”

    Outros países, incluindo os Estados Unidos, podem não resistir à tentação de lançar um CBDC próprio. Mas as moedas digitais apoiadas pelo governo não devem reinar supremas.

    Outras criptomoedas são necessárias para preservar uma forma independente e relativamente privada de dinheiro digital em um mundo onde as transações estão se tornando mais fáceis para os governos rastrearem e controlarem.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original